Termomecanica tem nova diretoria executiva

Regina Celi Venâncio e Nelson da Silva Leme que estiveram à frente da empresa por mais de 20 anos, com o suporte dos demais diretores, seguem no Conselho Administrativo e no Conselho Curador da Fundação Salvador Arena.

Após 22 anos de realizações e de uma gestão marcada por crescimento no mercado interno e externo, modernização, internacionalização e expansão dos negócios, a Termomecanica está trocando o seu comando. O processo sucessório, previsto há algum tempo, foi realizado em conformidade com os preceitos estatutários e chancelado em uma Assembleia Geral, realizada em Abril. Luiz Henrique Caveagna, com 37 anos de empresa foi o escolhido para assumir a diretoria geral da empresa líder em transformação de Cobre, Alumínio e suas ligas. Regina Celi Venâncio, até então principal executiva da Termomecanica, segue presidindo o Conselho Administrativo, que tem como Vice-Presidente Nelson da Silva Leme, executivo que até 2018 ocupou a posição de Vice-Presidente da companhia.

A mudança do quadro diretivo encerra um importante ciclo da companhia, que neste ano completa 78 anos de fundação. A diretoria anterior, assim como os conselheiros da Fundação Salvador Arena, foi nomeada diretamente pelo fundador e único acionista da Termomecanica, o Engenheiro Salvador Arena, antes de seu falecimento, que também transferiu o controle da companhia para a Fundação Salvador Arena. Essa diretoria eleita em Assembleia, conforme o estatuto da empresa é composta tanto por profissionais que fizeram carreira na companhia, como por outros que vieram do mercado.


Continua depois da publicidade


Regina Celi Venâncio permaneceu por 22 anos à frente da companhia, tendo assumido seu comando e o desafio de substituir o fundador que deixou a Termomecanica com ótima saúde financeira, reputação e imagem, calcadas na seriedade e na ética. Durante todo esse período, a Diretoria e o Conselho enfrentaram diferentes cenários e conjunturas econômicas do País, dando prosseguimento aos negócios, respondendo aos desafios de mercado e de competitividade, e mantiveram em andamento os projetos sociais da Fundação Salvador Arena, cujos recursos são gerados pela Termomecanica.

“É uma satisfação ver tudo o que foi realizado durante pouco mais de duas décadas de trabalho. É um motivo de orgulho, afinal dedicamos as nossas vidas à Termomecanica, preservando a cultura e os valores deixados pelo Engenheiro Salvador Arena. Em paralelo, tomamos decisões que foram responsáveis por elevar o patamar da Termomecanica ao que ela se tornou hoje e com a preocupação de prepará-la para os próximos anos. Foi fundamental estabelecer governança corporativa, um código de conduta ética, práticas e políticas para o desenvolvimento da empresa, respeitando sempre a sua cultura e os seus valores. Hoje, a nova gestão já tem um modelo e diretrizes definidas a serem seguidas, mas com o desafio de manter a curva ascendente”, ressalta.

A diretoria presidida pela executiva foi responsável por sistematizar e implementar práticas modernas de gestão e compliance, embasadas nas políticas adotadas desde o início da operação da Termomecanica. Entre as principais inciativas conduzidas, destacam-se a adoção do modelo de governança corporativa, responsável inclusive por normatizar e garantir o processo sucessório, e de um sistema integrado de gestão.  Destaca-se entre as conquistas a estratégia de internacionalização que projetou a companhia para novos mercados e culminou com aquisição de duas fábricas – uma no Chile e outra na Argentina.

Além disso, cerca de R$ 230 milhões foram investidos, desde 2012, em suas fábricas em São Bernardo, em equipamentos modernos, tecnologia, pesquisa e desenvolvimento, na instalação de uma nova unidade industrial em Manaus (AM), um Centro de Distribuição em Joinville e, em breve, será inaugurado um novo Centro de Distribuição nos Estados Unidos, além de uma nova linha de produção de Alumínio, em fase de implantação em São Bernardo do Campo. Essas iniciativas ajudaram a garantir a perenidade, rentabilidade e a solidez, tanto para os negócios da companhia, como para a Fundação Salvador Arena; viabilizaram a ampliação do portfolio de produtos e a implementação de normas rígidas de qualidade e a conquista de inúmeras certificações e acreditações.  As exportações também ganharam uma participação importante nos negócios da companhia, em especial no atual momento, com a valorização do dólar e a queda do mercado interno. Em 2010, apenas 1,7% da produção era exportada e, em 2019, esse percentual atingiu 18% de uma produção de 74,5 mil toneladas.

Conheça os novos diretores:

Luiz Henrique Caveagna, Diretor Geral, ocupava antes o cargo de diretor de operações industriais. Na direção geral, passa a ser responsável diretamente pelas áreas de Vendas, Marketing, Laboratório, Engenharias, P&D, Suprimentos de matéria-prima e de equipamentos, Produtos Intermediários, Energia e Utilidades, Manutenção Industrial e da Qualidade do Produto. Iniciou na Termomecanica, em 1983, como office boy e depois aprendiz de oficina mecânica. Além da paixão pela organização e de ter trabalhado com o Fundador Salvador Arena, Caveagna tem abrangente conhecimento técnico e estratégico da operação. Graduado em Produção Industrial e pós- graduado em gestão empresarial, sempre teve vocação industrial e passou por diversas áreas da organização, como coordenação de manutenção e produção, gerente geral, diretor de operações.

“Certamente, este é um grande desafio em minha vida profissional, tanto em manter o legado deixado pelo nosso saudoso Engenheiro Salvador Arena como por dar continuidade à bem sucedida gestão da Presidente Regina Celi Venâncio. Pretendo fazer isso sempre praticando o altruísmo e a inovação e olhando para o futuro, amparado por uma boa estrutura de inteligência de mercado e P&D, acompanhando as principais tendências do mercado local e internacional e fortalecendo nosso capital humano, que sempre foi a grande riqueza desta organização. Acredito que, desta forma, vamos continuar crescendo e aumentando cada vez mais a nossa participação nacional e internacional”, enfatiza Luiz Henrique Caveagna.

Walter de Lazari Sanches, Diretor de TI e Planejamento, desde 2010 era o Superintendente de TI da organização e, de 2016, também de S&OP (Sales and Operations Plan).

José Wilson de Oliveira Júnior, Diretor Financeiro, desde 2012 era Superintendente de Controladoria.

Elaine Regina Mattioli Soares, Diretora de Recursos Humanos, desde 2012.

Edson Marcos Zoccante, na Diretoria desde 1998 e também conselheiro vitalício da Fundação Salvador Arena.  

Pedro Luiz Torina, Diretoria de Operações, desde 2011.




Comentários