Gamagrafia identifica falhas sem perda da peça

Gamagrafia significa impressão de radiação gama em filme fotográfico. Os fabricantes de válvulas a utilizam na área de Controle da Qualidade, para verificar se há defeitos ou rachaduras no corpo das peças. Usa-se também a gamagrafia para inspecionar a qualidade das soldas, parte de navios, componentes de aviões, como motores, asas, etc. As empresas de aviação fazem inspeções freqüentes nos aviões, para verificar se há fadiga nas partes metálicas e soldas essenciais sujeitas a maior esforço (por exemplo, nas asas e nas turbinas) usando a técnica. Num processo de inspeção radiográfica, os raios-x ou gama atravessam a peça. Uma parte da radiação é absorvida, e a restante vai impressionar um filme fotográfico, onde se pode visualizar toda a estrutura interna do corpo de prova ou parte dela.




A radiografia industrial é uma das técnicas nucleares mais empregadas na indústria, pois este tipo de ensaio não destrutivo assegura a integridade de vasos de contenção, caldeiras, tubulações e soldas em dutos onde serão aplicadas altas pressões para o transporte de produtos como gases, óleos, entre outros. A técnica normalmente é realizada através da radiação X ou radiação gama. Esta segunda alternativa é conhecida com gamagrafia, visto que são usadas fontes que emitem radiação gama. Em 90% das casos a fonte utilizada é o Iridio-192, mas também existem outras fontes como o Selênio-75 e Cobalto-60. A gamagrafia industrial foi utilizada, por exemplo, em praticamente toda a extensão do gasoduto Bolívia-Brasil.

A utilização destas fontes como medidores nucleares, permite às indústrias alcançar os rígidos parâmetros exigidos pelo mercado mundial, além de agregar mais qualidade aos produtos. As principais fontes radioativas utilizadas são o Césio-137, Cobalto-60, Amerício-241, Estrôncio-90, Criptônio-85 e Promécio-147. Medições online de nível, densidade, umidade, peso, espessura e gramatura são amplamente realizadas utilizando fontes radioativas.

Tópicos:



Comentários