Combustíveis sintéticos renováveis contribuem para diminuir a emissão de CO₂

Mobilidade do futuro: Bosch destaca razões para uso de combustíveis sintéticos renováveis

O Acordo de Paris exige que o aquecimento global seja limitado a 2°C acima dos níveis pré-industriais, de preferência até 1,5°C. E, para que isto aconteça, o CO₂ emitido pelos veículos rodoviários terá que ser reduzido a quase zero nas próximas três décadas. A principal questão é como.

Apesar da eletromobilidade estar ganhando força e dos carros elétricos serem tão livres de emissões quanto a produção de eletricidade que carrega suas baterias, cerca de metade dos veículos que estarão na estrada em 2030 já foram vendidos, sendo a maioria com motores a gasolina ou diesel. Assim, estes veículos também terão que desempenhar um papel importante na redução de CO₂ – e um caminho para isso será por meio do uso dos combustíveis sintéticos renováveis.

Razões pelas quais os combustíveis sintéticos renováveis ​​farão parte da mobilidade do futuro:

Tempo

Os combustíveis sintéticos renováveis ​​há muito tempo deixaram a fase básica de pesquisa. Em termos técnicos já é possível fabricar combustíveis sintéticos. Primeiramente, se aplica a eletricidade gerada a partir de fontes renováveis ​​para obter hidrogênio da água. Então adicionam carbono. Finalmente, combinam CO₂ e H₂ para produzir gasolina sintética, diesel, gás ou querosene. O processo de produção é viável, mas falta capacidade. Ele precisa ser expandido rapidamente para atender à demanda. Os incentivos podem vir de cotas de combustível, compensando a economia de CO₂ em relação ao consumo da frota e a certeza do planejamento a longo prazo.


Continua depois da publicidade


Neutralidade climática

Como o próprio nome sugere, combustíveis sintéticos renováveis são fabricados exclusivamente com energia obtida de fontes renováveis, como o sol e o vento. Na melhor das hipóteses, fabricantes capturam o CO₂ necessário para produzir esse combustível a partir do ar circundante, transformando um gás de efeito estufa em um recurso. Isso cria um ciclo virtuoso em que o CO₂ emitido pela queima de combustíveis sintéticos renováveis ​​é reutilizado para produzir novos combustíveis. Os veículos na estrada, quando movidos a combustível sintético, são neutros ao clima.

Infraestrutura e tecnologia powertrain

O processo Fischer-Tropsch produz combustíveis sintéticos renováveis ​​que podem ser usados ​​com a infraestrutura e os motores atuais. Especialistas os chamam de combustíveis sintéticos “drop-in” porque podem ser implantados sem ter que modificar a infraestrutura e os veículos, além de terem um impacto imediato e proporcionarem resultados mais rápidos. Eles também podem ser adicionados ao combustível convencional para ajudar a reduzir as emissões de CO₂ dos veículos já em circulação atualmente. As estruturas químicas e as propriedades básicas da gasolina permanecem intactas, de modo que até carros mais antigos podem funcionar com gás sintético. Dessa forma, esses combustíveis podem contribuir para a redução de emissões de CO₂ mesmo antes de serem expandidos para produção em larga escala.

Custos

A produção de combustíveis sintéticos ainda é um processo caro – e se tornará consideravelmente mais acessível quando a capacidade de produção for expandida e o custo da eletricidade gerada a partir de fontes renováveis ​​diminuir. Os estudos atuais sugerem que o custo de combustível puro entre 1,20 e 1,40 euros por litro pode ser alcançado (excluindo impostos especiais de consumo) até 2030 e menos de um euro em 2050. A desvantagem de custo desses combustíveis em comparação com os combustíveis fósseis pode ser significativamente reduzida se o valor foi atribuído à vantagem ambiental dos combustíveis sintéticos renováveis. O fato de serem compatíveis com a infraestrutura e a tecnologia automotiva de hoje oferece uma vantagem sobre outros motopropulsores alternativos.

 Potenciais aplicações

Mesmo no futuro, quando todos os carros e caminhões forem movidos a baterias ou células de combustível, aviões, navios e parte do setor de transporte de mercadorias pesadas continuará a depender dos combustíveis convencionais. Os motores de combustão movidos a combustíveis sintéticos neutros em carbono são, portanto, um caminho essencial a ser explorado.

Recursos

Os biocombustíveis inovadores que são produzidos, por exemplo, a partir de resíduos, são úteis – no entanto, o fornecimento é limitado. Quando a energia renovável é usada, combustíveis sintéticos podem ser produzidos em quantidades ilimitadas. Energia renovável suficiente pode ser gerada em todo o mundo para produzir combustível que pode ser armazenado e transportado com relativa facilidade.




Comentários