Nova tecnologia na produção de biodiesel

Fonte:  ABIOdiesel - 28/06/07

Nova tecnologia que não gera resíduos indesejáveis na produção de biodiesel, desenvolvida e patenteada pela Westfalia Separator da Alemanha, já está em fase de instalação em fábricas no Brasil. A inovação aperfeiçoa o pré-tratamento do óleo vegetal, matéria-prima da produção de biodiesel. O método denominado de Neutralização Alcoólica não gera resíduos como: a borra, que ocasiona redução no rendimento do produto final; e a água de lavagem, que necessita de tratamento especial para não ser poluente. “É, portanto, um método mais amigável ao meio ambiente”, ressalta Osvaldo Bullara, gerente de Óleos e Gorduras da Westfalia Separator do Brasil, que desenvolve projetos e implementa fábricas de biodiesel no país.

De acordo com Bullara, a preocupação com o meio-ambiente criou uma tendência mundial, na qual as empresas engajadas estão adotando as novas plantas industriais com este pré-tratamento. Além disso, a nova tecnologia contribui para um maior rendimento de biodiesel na produção final, já que a economia de insumos e receitas com subprodutos podem chegar a R$ 2.400.000 por ano para uma planta que produz de 120 mil toneladas, o que corresponde a aproximadamente 1,5% do custo de toda a matéria-prima utilizada para a produção de biodiesel neste período. E essas vantagens da tecnologia inovadora da Westfalia podem ser determinantes para a competitividade no setor. “A partir de 2008, as distribuidoras serão obrigadas por lei a agregar 2% de biodiesel ao diesel. Afora isso, o governo deve adquirir o combustível primordialmente das empresas que têm o Selo Combustível Social, uma certificação de que os produtores de biodiesel incluem a agricultura familiar, através da compra de matéria prima deles e a assistência técnica a eles oferecida”, enfatiza Miguel Vaz de Ribeiro, vice-presidente da Fiagril, empresa focada em agronegócios, localizada em Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, onde está sendo instalada uma das plantas industriais com novo processo da Westfalia.

Com a implantação da fábrica de biodiesel, o principal objetivo da Fiagril é diversificar as atividades, agregar valor a produção primária da região, criando outras alternativas para a economia local. Já foram criados 200 empregos diretos para a instalação da nova unidade. No total, serão investidos R$ 35 milhões para todo o projeto, sendo que o Programa de Apoio Financeiro a Investimentos em Biodiesel do BNDES financiará 80% desse valor. Ainda no Mato Grosso, centrífugas da Westfalia estão em fase de implementação na fábrica de biodiesel da ADM, uma das maiores processadoras de soja do país.

Outro mercado que começa a ser atendido é o sul do país. No Rio Grande do Sul, uma planta industrial completa da Westfalia está em fase de instalação na Granol, empresa especializada na produção e comercialização de grãos. Segundo Juan Diego Ferrés, diretor industrial da Granol, a produção de biodiesel é uma oportunidade econômica única para o Brasil, que tem potencial agrícola e diversas indústrias de esmagamento espalhadas pelo país. “Os investimentos da Granol em fábricas de biodiesel já somam mais de R$ 80 milhões, prova de que acreditamos no futuro desse combustível verde”, acrescenta Ferrés. A aquisição de uma planta completa com essa inovação tecnológica garante a produção de biodiesel com maior valor agregado e conseqüente vantagem econômica. “A qualidade do produto final é melhor e os custos de produção são menores, o que gera mais lucro para as empresas produtoras”, lembra Bullara.

A Westfalia Separator Brasil oferece, além das centrífugas para o pré-tratamento, projetos completos para toda a linha de produção, soluções que permitem máxima eficiência e operação contínua, o que garante até 300 mil toneladas de biodiesel produzidas por ano, por planta. A empresa também é responsável pela manutenção de seus equipamentos e treinamento contínuo dos profissionais que vão operá-los, assim como pelo planejamento para as novas instalações.

Sobre a Westfalia Separator do Brasil
A empresa pertence ao grupo alemão GEA, líder mundial em equipamentos industriais, cujo faturamento anual gira em torno de 5 bilhões de euros.  A Westfalia oferece soluções de engenharia de projetos e processos para o desenvolvimento e implementação de unidades completas para a produção de biodiesel, com capacidade de produção que pode atingir até 300 mil toneladas por ano, por planta. A equipe da Westfalia Separator do Brasil, com 35 anos de experiência no processamento de óleos vegetais, é também responsável pelo desenvolvimento e implementação de plantas de pré-tratamento para a produção de biodiesel, que garantem um processo contínuo e confiável. A empresa é reconhecida pelo mercado pela qualidade e agilidade de seus serviços de pós-venda.

Sobre a Fiagril
Empresa pioneira no agronegócio do norte de Mato Grosso, a maior região produtora de grãos do país, oferece aos seus clientes a mais completa linha de insumos defensivos agrícolas como: fertilizantes, sementes, defensivos e um serviço técnico especializado, além do recebimento, armazenamento e comercialização de grãos em suas modernas unidades em Lucas do Rio Verde, Sorriso e Sinop

Sobre a Granol
Empresa dedicada à produção e comercialização de grãos, farelos e óleos vegetais e biodiesel para os mercados interno e externo. São mais de 1.200 funcionários engajados e comprometidos em gerar produtos e serviços de altíssima qualidade, focados nas necessidades da sociedade e no respeito ao meio ambiente. A empresa opera cinco unidades industriais: três em São Paulo (Osvaldo Cruz, Tupã e Bebedouro), uma em Goiás (Anápolis) e uma no Rio Grande do Sul (Cachoeira do Sul).



Comentários