Em vez de isopor, utiliza-se cogumelos

Se Eben Bayer conseguir fazer o que pretende, o poliestireno extrudado, conhecido genericamente como isopor, será substituído por cogumelos em um futuro próximo. O poliestireno está em tudo: materiais de embalagem, copos de café, insulação, galedeirinhas de praia, e até mesmo em dispositivos de flutuação. Feito em parte do petróleo, o isopor é basicamente indestrutível e portanto não-biodegradável - estima-se que ele ocupe 25% dos aterros de lixo dos EUA. Para substituir o poliestireno, Bayer e seu colega Gavin McIntyre criaram o Greensulate, um sistema de insulação baseado em cogumelo que pode construir a si mesmo em cinco dias.
 
Como um produto pode fabricar a si mesmo? O Greensulate usa micélio de cogumelos, de crescimento rápido, para fazer uma liga com sobras agrícolas, como sementes e palha de milho que, produzida em um molde, gera os produtos de insulação e embalagem. O micélio do cogumelo, que é análogo a um sistema de raízes de plantas, usa a energia aprisionada nas sobras para criar redes microscópicas que se espalham por matéria orgânica, até chegar a blocos que podem tomar qualquer forma desejada.

Bayer e McIntyre desenvolveram o novo material de embalagem baseados em quatro princípios. Primeiro, queriam um produto que pudesse ser construído a partir de materiais locais. Segundo, o produto deveria fabricar a si mesmo, poupando energia e reduzindo a necessidade de maquinário. Por sorte, o micélio cresce mais eficazmente no escuro, economizando muito em contas de energia.

Terceiro, eles queriam um produto 100% biológico, para que mesmo os produtos descartados pudessem ser plenamente incorporados ao material final. Finalmente, precisavam de um produto feito completamente de polímeros naturais, para que ele pudesse ser 100% biodegradável e até ajudasse o solo.

Tópicos:



Comentários