Gühring incrementa sua linha de fixação

Produtos atendem clientes que utilizam alta tecnologia em usinagem HSC e HPC.

Uma usinagem bem sucedida requer uma fixação eficiente. Os mandris interferem diretamente na qualidade da usinagem e na vida útil das ferramentas. É a garantia da qualidade da peça e da estabilidade do processo. “Se a fixação é ruim, temos baixa vida útil, instabilidade da ferramenta, variações nas dimensões do produto e, inclusive, já existem estudos que comprovam que, batimentos elevados aumentam o consumo de ferramentas em até 50%”, explica Neider Oliveira Soares, coordenador de engenharia e Inteligência de Mercado, da Gühring Brasil

A empresa tem um amplo portfólio de mandris chamado GM 300.  A linha é composta por mandris de fixação (hidráulico, térmico, mecânico, entre outros), equipamentos de fixação térmica e equipamentos de medição. Incorpora também produtos de fixação como: mandril HPC Clamping Chuck, de acionamento mecânico para usuários que necessitam de enorme força de fixação da ferramenta de corte. Os mandris GM 300 são produzidos com aço alemão e representam a empresa nesse segmento de ferramentas. 

O mandril hidráulico HMC 3000 também faz parte da linha GM 300. É capaz de fixar micro ferramentas nos diâmetros de 3, 4, 5 mm diretamente no mandril, proporcionando maior precisão na montagem da ferramenta. Já a GühroSync é uma série de mandris comumente chamada de um “verdadeiro 2 em 1” (hidráulico e compensatório). “São mandris de fácil manuseio, com excelente qualidade na fixação, que proporcionam menor batimento e ótimo amortecimento nas operações de rosqueamento, e devido a esta redução de esforço e menor batimento na ação de rosqueamento, é comum o usuário obter ganhos de até 30% na vida útil da ferramenta”, explica Soares. 

HPC GM300 - Imagem: Divulgação

Os modelos standard de mandris hidráulicos e térmicos também se somam à GM300. Segundo o engenheiro, são produtos que atendem os clientes que possuem alta tecnologia em usinagem padrão HSC (alta velocidade de corte) e HPC (alta taxa de remoção de material), como é o caso dos segmentos automotivo, de autopeças e de moldes e matrizes em geral.


Continua depois da publicidade


Os mandris estão preparados para utilizar o sistema MQL, uma tendência de no processo de usinagem nos próximos anos. “A aceitação da linha GM300 pelo mercado tem sido extraordinária, principalmente, os mandris térmicos. Temos disponibilidade, diversidade e preços competitivos”, ressalta o engenheiro da Gühring.




Comentários