Volvo Cars inaugura novo laboratório para desenvolvimento de motores elétricos

Seguindo os planos climáticos da empresa de tornar-se neutra para o clima até 2040, a fabricante sueca investe em desenvolvimento próprio para aumentar os ganhos em eficiência de energia e ter melhor desempenho.

A Volvo Cars está fazendo investimentos significativos que permitem o design e o desenvolvimento interno de motores elétricos para a próxima geração de modelos Volvo, à medida que a empresa continua a se tornar uma fabricante de carros totalmente elétricos.

A empresa abriu hoje um novo laboratório de motores elétricos em Xangai, na China, a mais recente adição à sua rede global de instalações para o desenvolvimento e teste de componentes de carros elétricos. O laboratório vem além do desenvolvimento contínuo de motores elétricos em Gotemburgo, na Suécia, e laboratórios de bateria de última geração na China e Suécia.

Assumindo o papel do motor de combustão interna na engenharia automotiva, os motores elétricos são um bloco de construção fundamental dos carros elétricos, junto com a bateria e potência eletrônica. A interação entre essas três áreas de componentes é crucial no desenvolvimento de carros elétricos premium.

Trazer o desenvolvimento de motores elétricos internamente permitirá que os engenheiros da Volvo Cars otimizem ainda mais os motores elétricos e toda a transmissão elétrica nos novos Volvos. Essa abordagem permitirá que os engenheiros obtenham mais ganhos em termos de eficiência de energia e desempenho geral.

“Por meio de design e desenvolvimento internos, podemos ajustar nossos motores elétricos para níveis cada vez melhores”, disse Henrik Green, diretor de tecnologia da Volvo Cars. “Ao melhorar constantemente seus níveis gerais de desempenho em termos de eficiência energética e conforto, criamos uma experiência de direção elétrica única para a Volvo.”

Os motores elétricos permitem características marcantes pelas quais os carros elétricos são conhecidos, como aceleração instantânea e o chamado One Pedal Driving, em que os motoristas usam o pedal do acelerador tanto para aceleração quanto para desaceleração, dependendo se eles empurram ou levantam o pé do pedal.


Continua depois da publicidade


O recém-inaugurado laboratório de motores elétricos em Xangai tornou-se operacional no mês passado. Ele se concentrará principalmente no desenvolvimento de motor elétrico para uso em carros totalmente elétricos e híbridos com base na próxima arquitetura de veículo modular SPA 2 da Volvo Cars.

Eletrificação está no DNA da marca

A Volvo Car Brasil é líder na venda de carros plug-in hybrid no País, totalizando 60% do mercado. Todos os modelos da marca possuem uma ou mais versões hibridas disponíveis.

Para difundir ainda mais e facilitar para os proprietários de veículos híbridos e elétricos, a marca fechou uma parceria com o Waze e todos os eletropostos By Volvo espalhados pelo Brasil já estão disponíveis na plataforma. Basta digitar “Eletroposto Volvo” e traçar a rota para o ponto mais próximo. A marca já tem cerca de 350 eletropostos instalados e chegará à 700 pontos até o fim deste ano.

Também está disponível em todas as concessionárias o Volvo Wallbox, uma estação de carregamento domiciliar que pode ser adquirida por qualquer pessoa e instalada facilmente em residências ou comércios.

Tanto os eletropostos By Volvo, como o Wallbox, podem ser usados por proprietários de veículos de outras marcas, já que são compatíveis com todos os modelos de veículos plug-in hybrid (plug tipo 2).

Plano climático

Os investimentos em design e desenvolvimento internos de motores elétricos representam mais um passo em direção às ambições climáticas e estratégia de eletrificação da Volvo Cars. A meta é que 50% de suas vendas sejam veículos totalmente elétricos até 2025, com o restante dos híbridos.

A eletrificação é parte do plano climático abrangente da empresa, que aborda as emissões de carbono em todas as suas operações e produtos, em direção à sua ambição de se tornar neutro para o clima até 2040.

O plano vai além de abordar as emissões do escapamento por meio da eletrificação; a empresa também enfrentará as emissões de carbono em sua rede de manufatura e operações mais amplas, sua cadeia de suprimentos e por meio da reciclagem e reutilização de materiais.

Como um primeiro passo tangível em direção à sua visão de 2040, a empresa visa reduzir a pegada de carbono do ciclo de vida por carro em 40% entre 2018 e 2025.




Comentários