Minas Gerais quer ser referência em florestas renováveis

O Estado é o maior plantador de florestas e pretende investir na atividade

Fonte: Agência Sebrae de Notícias - 27/08/07

Foto: Divulgação



Minas Gerais quer se tornar referência na silvicultura e na geração de conhecimento para desenvolver a atividade. A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes-MG) lança o projeto do Pólo de Excelência em Florestas Renováveis de Minas Gerais, que pretende integrar entidades, universidades, pesquisadores e empreendedores envolvidos na atividade na busca de soluções para os principais gargalos do setor.

Para constituição do pólo, já estão reservados R$ 400 mil. "A sede será instalada em Viçosa, por conta da presença da Universidade Federal que tem pesquisas pioneiras no assunto e da Sociedade de Investigações Florestais. Com a verba, também será elaborado plano de negócios para definição do foco de atuação do pólo", diz a coordenadora do Programa de Uso Múltiplo de Florestas Renováveis da Sectes, Ana Paula Silva.

Viçosa também fica próxima à cidade de Ubá, reconhecido Arranjo Produtivo Local (APL) de produção de móveis. Com a parceria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do pólo, o Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Marcenaria de Ubá (Intersind) quer incentivar produtores rurais a investir na plantação de eucalipto para a indústria moveleira.

Segundo Ana Paula, 4% do PIB estadual são gerados pelo setor de base florestal. "Em cidades onde o plantio é mais difundido há geração de renda e emprego. O Índice de Desenvolvimento Humano é maior", diz.

Para o produtor rural, as florestas renováveis são um bom negócio. "Após os dois primeiros anos, que exigem maior cuidado, o manejo não exige muito. As árvores também podem ser conciliadas com outras atividades da fazenda e não têm data certa para o corte. O agricultor pode esperar o período mais oportuno", explica Ana Paula.

Com o objetivo de incentivar as pesquisas na área, a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), ligada à Sectes, acaba de lançar um edital. Ao todo, serão destinados R$ 1 milhão às propostas aprovadas.

As pesquisas devem estar ligadas a uma das quatro linhas temáticas: introduzir, testar e avaliar o comportamento de gêneros/espécies florestais; disponibilizar material genético para programas de silvicultura e melhoramento genético; caracterização tecnológica e desenvolvimento de produtos a partir de madeiras e subprodutos de florestas renováveis; e geração de conhecimentos tecnológicos para o pequeno produtor rural.

As propostas serão aceitas até o dia 15 de outubro. Elas devem ser enviadas por meio eletrônico, através do ÁgilFAP (http://agilfap.fapemig.br/) e também pelos correios.

A criação de pólos é uma estratégia da Sectes para estimular o crescimento de áreas em que Minas Gerais já ocupa posição de destaque, mas pode ampliar o volume de negócios. O Pólo de Excelência do Café foi o primeiro a ser lançado, em junho, no município de Três Pontas, sul do Estado. Em seguida foi a vez do Pólo de Excelência do Leite, lançado em julho em Juiz de Fora. Além do Pólo de Excelência em Florestas Renováveis, estão previstos os lançamentos dos pólos mínero-metalúrgico, de energia, de gemas e pedras preciosas, eletroeletrônico e de biotecnologia.



Comentários