IRANI recicla 90% dos resíduos químicos

Fonte: Jornal do Meio Ambiente - 29/06/07

A Celulose Irani S.A. acaba de divulgar o relatório de sustentabilidade, referente ao ano de 2006, com os balanços financeiro, ambiental e de responsabilidade social. Produtora de celulose, papel Kraft, chapas e caixas de papelão ondulado, móveis, resinas e madeiras de reflorestamento; a Irani tem como missão, promover sustentabilidade e oferecer produtos com total compromisso de preservação do meio ambiente.

A IRANI investe em equipamentos que utilizam energia limpa e aproveitam toda biomassa gerada na produção de papel e celulose. Essa estratégia rendeu à empresa o título pioneiro do setor na comercialização de créditos de carbono (pelo Protocolo de Kyoto), pela instalação de uma usina de co-geração de energia de biomassa que está em operação desde 2005 e gera, em média, 7,5 MWh de energia elétrica, além da redução potencial da emissão na atmosfera de 3.702.046 mil toneladas de carbono (CO2) equivalente em 21 anos. No ano passado, a IRANI colocou em operação a planta de recuperação de produtos químicos que permite a reciclagem de 90% dos resíduos químicos e aumenta em 30% a produção de celulose.

Investimentos - Em 2006, foram investidos importantes recursos em reflorestamento, na melhoria contínua dos processos, máquinas e equipamentos.

Distribuição dos Investimentos em 2006 (em mil reais): Florestamento e Reflorestamento " 5.539 | Equipamentos e instalações " 26.684 | Prédios e Construções " 6.123. Total - 38.346

Desempenho Econômico: A Receita Bruta da IRANI foi de 3,3% superior em 2006, quando comparada a 2005, totalizando R$ 377.689 mil. Em dólares, o valor da Receita Bruta foi de US$ 173.608 mil. A Receita Operacional Líquida foi 5,9% superior no ano de 2006 em relação a 2005. Em 2006 foi de R$ 300.569 mil. O Lucro Bruto foi de R$ 74.766 mil e a Margem Bruta se apresentou estável em 2006, ficando em 24,9%.

Desenvolvimento Sustentável: Com um investimento de aproximadamente R$ 23.630 (mil reais) de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES, a IRANI desenvolveu o projeto Mecanismo de Desenvolvimento Limpo - MDL, Co-geração de Energia na Unidade Papel. Por meio da queima de biomassa, a usina gera energia, reduz a emissão de gás metano e gás carbônico, contribuindo para a minimização da emissão dos gases causadores do efeito estufa. O Projeto foi reconhecido, em julho de 2006, pela ONU - Organização das Nações Unidas e os CERs - Certified Emission Reductions foram emitidos em setembro de 2006. Protocolo prevê créditos por período de até 21 anos.



Comentários