Fugindo do Apagão!

Wilson Sergio, instrutor técnico de Usinagem - Racionamento de Energia.

Ta com sede? ÓLHA OLHA OLHO brasileiro tem uma mania, gastar todas as energias no carnaval e passar o resto do ano recuperando-se da ressaca! Segue abaixo uma receita pós-folia.

Os habitantes do Ghetto, sem se dar conta do valor da descoberta poluem a nascente. Isto inspirou Brown na composição da canção que foi muito cantada no carnaval de 1997 e que se tornou uma famosa canção da Timbalada: "Água Mineral do Candeal": "Bebeu água? Não! Tá com sede? Sim! Olha, olha a água mineral Água mineral, água mineral do Candeal Você vai ficar legal!" Carlinhos tem planos de desenvolver um programa oficial para educar os moradores do Candeal a respeito desta fonte e encorajá-los a assumir a responsabilidade de proteger este valioso recurso.

 O Brasil tem usinas elétricas com capacidade total para gerar 70 mil MW, enquanto a demanda atual é calculada em 56 mil. Desse total, 90% correspondem à energia gerada nas hidrelétricas, cuja matéria prima é a água. Por causa da escassez das chuvas neste verão e do uso imprudente das reservas em 1998/2000, os maiores reservatórios do Sudeste, a região de maior desenvolvimento no País, estão com menos de 30% em sua reserva, podendo chegar a 10%, em setembro/2002, se não for feito um esforço inaudito para reduzir o consumo, imediatamente. Publicado na A Gazeta de 27/05/2001, Caderno Opinião, p. 04. 
 
CONTA DE LUZ SALGADA O preço para consumir 150 kWh (família de classe média) em São Paulo disparou desde o início do racionamento Pois é, a crise energética ainda não acabou e corremos o risco de passar por mais um apagão, e o racionamento já é uma realidade constante em cidades do Amazonas por exemplo.
O que deve fazer uma empresa do ramo de usinagem quando a tarefa é economizar energia e contribuir com o país? Mais precisamente reduzir o consumo em até 20% que é a meta estabelecida pelo governo?

Ora a redução de consumo significa aumento da tarifa em igual proporção, pois não se pode tirar o ganho das geradoras, que estão endividadas, pois não recebem inclusive do governo. Com certeza apagar as luzes durante o dia seria uma ironia, pois representaria no máximo 5% do total consumido, pois,as máquinas consomem energia de uma instalação trifásica. Reduzir a jornada de trabalho ocasionaria em menos produção e consequentemente no atraso dos prazos de entrega, o que deixaria qualquer empresa a beira do caos. Sem falar dos aspectos trabalhistas. A solução:

ECONOMIZAR. Mas como? Realmente isso será possível, afinal todos sabemos que durante anos isso foi vítima do descaso das autoridades e sociedade em geral. Afinal como somos donos da maior usina hidrelétrica do mundo a Itaipú, ficamos acomodados durante anos, o que parecia impossível tornou-se realidade, os recursos estão acabando, é hora de pagar o preço.... OU NÃO!!! 
 
Como economizar? PLANEJAMENTO é a resposta.

É evidente que deverão ser traçados novos objetivo que minimizem o consumo de energia. Ou simplesmente arcar com as multas da companhia de energia elétrica em detrimento de se respeitar os prazos, evitar demoradas negociações com o sindicato dos trabalhadores, e principalmente tomar os devidos cuidados para que não caia o nível de motivação duramente conquistado durante as implantações dos exaustivos compromissos com as normas da qualidade. Fazer um plano anual sobre os horários de funcionamento dos equipamentos mais críticos; elaborar junto a equipe de usinagem, quais seriam as estratégias para se usinar consumindo o mínimo de energia e produzindo o mesmo que se produzia antes. Parece ser o mais lógico e menos prejudicial em todos os aspectos.

COMO CONSEGUIR TAL FEITO? Primeiramente deverá ser feito um estudo de caso, e cada empresa apresenta um problema em particular. Mas todos podem ser resolvidos adotando medidas simples como exemplo:

- Estudo da quantidade do que será produzido. - Quais os métodos que estão sendo utilizados nas operações de usinagem. - Como as ferramentas se comportam quanto a vida útil - Quais as características de cada equipamento envolvido. (consumo de energia por hora, potência etc.) - Reunir todos os profissionais envolvidos para uma reunião de braimstorming, para serem levantadas em conjunto os problemas relacionados ao consumo de energia e chegarem juntos a um consenso onde todos saibam as metas que pretende-se atingir e como chegar lá.

Como sugestão, proponho que todos estejam envolvidos em otimizar os parâmetros de corte, aumentar a taxa de avanço e a profundidade de corte reduz o tempo de corte, resultando na obtenção mais rápida do lote a ser produzido. Porém, aumenta-se a potência consumida. Reduzir o volume de fluido de corte empregado, adotando a usinagem sem refrigeração em algumas operações, também reduziria mais uma máquina em funcionamento, economizando energia como conseqüência. Afinal a bomba de fluido de corte também consome energia pelo seu motor, sem falar na saúde do operador, os gastos com manutenção do fluido, espaço para os tanques de fluido de corte, meio ambiente etc.

Quando possível alterar a matéria-prima adicionando-se elementos que melhorem a usinabilidade. Selecionar arestas de corte mais positivas para reduzir o esforço de corte e reduzir a potência consumida, e utilizar com maior tranqüilidade avanços mais agressivos. Realizar ajustes nas máquinas reduzindo as folgas e melhorando a sua rigidez, para garantir também a precisão dimensional e superficial. Utilizar pastilhas alisadoras no fresamento possibilitando o aumento dos avanços e eliminando tarefas, posteriores de acabamento. Procurar eliminar outros processos posteriores, como a retifica ou o tratamento térmico. Investir em novos materiais como o CBN e usinar materiais já tratados.

Com isso reduz-se a necessidade de utilizar um forno elétrico ou uma retificadora. Adotar o kanban e just in time e produzir conforme a real demanda pelos produtos e processos. Planejando datas e períodos realmente necessários para o funcionamento econômico de máquinas e equipamentos. Buscando racionalizar, ajustando métodos e técnicas para a manufatura enxuta. E ao final do processo, compreender que tudo o que está sendo feito é para apagar um incêndio que poderia ser previsto e evitado há muito tempo. Se algumas empresas quebram é porque não estão com seu pessoal devidamente preparado.

 ENTÃO VAMOS À LUTA! PREPAREM-SE PARA O APAGÃO. OU VIVAM UMA VIDA ROMÂNTICA... ... À MEIA-LUZ! “É MELHOR PREVENIR DO QUE REMEDIAR” diz o ditado popular ou lembram da última crônica?

 É a teoria do sapo na panela*! De novo! * publicada no último boletim. 

Tópicos:



Comentários