Medium_foto_samanta
Samanta Luchini    |   15/12/2020   |   Desenvolvimento Humano   |  

As pequenas-grandes vitórias de 2020

As pequenas vitórias diárias fazem toda diferença na forma como nos sentimos e em como atuamos, melhoram nossa produtividade, impulsionam nossa capacidade de criativa e alimentam nossa motivação.

Eis que mais um ano está por terminar. E não é um ano como tantos outros que já vivemos.

Dois mil e vinte foi um ano extremamente desafiador e vai deixar uma marca profunda na nossa história, em virtude da pandemia do Corona Vírus.

Dos doze meses desse ano, nove foram vividos de um jeito absolutamente novo para nós e, por muitas vezes, bastante severo.

O ano mal havia começado e todos nossos planos e atividades da rotina caíram por terra.

Praticamente da noite para o dia perdemos aquilo que pode ser considerado o lastro do nosso bem-estar emocional – as experiências de controle, de poder e de segurança. O que explica perfeitamente nossos episódios de cansaço, fadiga, ansiedade, estresse, insônia e o desconforto que cada um experimentou à sua própria maneira.

De uma hora para outra a vida toda foi migrada para as telas do computador, do tablet, do celular. Tivemos que aprender uma forma nova de trabalhar, estudar e se relacionar.

Isso tudo sem falar das milhares de pessoas que adoeceram e da dolorosa e irreparável perda daquelas que se foram.

Ouvi algumas pessoas comentarem sobre o desejo de anular esse ano e pensar como se ele não tivesse existido. Outras me disseram que não iriam considerar um ano a mais em suas idades, pois um ano que não “vivido” não deveria ser contado. Confesso que essas falas me incomodaram bastante, mas ao mesmo tempo me fizeram refletir.

Se olharmos apenas por esse prisma, é provável que fecharemos 2020 com um gosto muito amargo na garganta e o peso de uma lista enorme de perdas.

Contudo, eu gostaria de compartilhar algo com você.

Uma das máximas da psicologia positiva diz que a maneira como as coisas terminam, vai determinar o tom de todas as outras que vierem na sequência. Isso vale para as parcerias de trabalho, para as relações comerciais, para os nossos relacionamentos e, na minha visão, aplica-se também aos dias, aos meses e aos anos.

Sendo assim, a forma como terminarmos o ano de 2020, pode influenciar nossas expectativas e nossas experiências de 2021.


Continua depois da publicidade


Que tal, então, terminar este ano fazendo um levantamento das suas “pequenas-grandes” vitórias?

A ideia de pequenas vitórias (pequenos progressos) já vem sendo estudada e utilizada há mais de dez anos, para auxiliar as pessoas a atingirem maiores níveis de motivação e energia na realização de seus objetivos.

Algumas pesquisas (uma delas publicada na edição de maio/2011 da Harvard Business Review) já comprovaram que pequenas vitórias diárias fazem toda diferença na forma como nos sentimos e em como atuamos. Elas melhoram nossa produtividade, impulsionam nossa capacidade criativa, estimulam as emoções confortáveis, alimentam nossa motivação, acionam nossas percepções e nos trazem uma visão mais positiva de nós mesmos, do trabalho e da vida em geral. Também podem aumentar nossa autoconfiança, nosso senso de autoeficácia, nossa autoestima e nossa capacidade de atingir objetivos. E esses resultados parecem se manter no longo prazo também.

Além disso, a sensação de progresso é fundamental para a natureza humana e, quando ela se confirma, pode se converter num poderoso alicerce psicológico.

Quando se pensa em progresso, a tendência é considerar algo mais expressivo, como um objetivo de longo prazo ou uma conquista importante. E é fato que essas experiências trazem sensações positivas e contribuem significativamente para o nosso bem estar. Mas as pesquisas confirmam a boa notícia de que mesmo os pequenos progressos diários também cumprem esse papel.

Existem evidências de uma espécie de looping de progresso, no qual os pequenos progressos diários influenciam nossas emoções, que por sua vez nos impelem a novos episódios de progresso. Isso significa que ao experimentar e celebrar nossos progressos diários, independentemente de quais sejam, estaremos reforçando nossa capacidade de progredir ainda mais e alcançar grandes objetivos no longo prazo.

Se usarmos esse princípio, olhando este ano em retrospecto, teremos a chance de terminar 2020 de uma forma mais leve e adentrarmos 2021 com mais energia, motivação e positividade. Pegue uma folha de papel, uma caneta e registre todas as “pequenas-grandes” vitórias que puder se lembrar.

  • O que você aprendeu de novo neste ano?
  • Quantos livros você leu?
  • O que você conseguiu organizar? Ou resolver?
  • Descobriu novas formas de planejar seu dia e executar suas atividades?
  • O que você mesmo consertou na sua casa?
  • O que conseguiu superar em si mesmo?
  • Que hobby você retomou por estar mais tempo em casa?
  • Praticou exercícios físicos?
  • Perdeu peso?
  • Meditou?
  • Fez algum trabalho manual?
  • Brincou com seus filhos? Os ajudou nas tarefas da escola? Estudou com eles?
  • Quantas pessoas você conseguiu ajudar, oferecendo sua atenção e sua escuta?
  • Quantos momentos divertidos você viveu dentro da sua casa, que agora fazem parte do seu acervo de recordações?
  • Que hábitos novos você desenvolveu e que agora segue com você?

E depois que você fizer a sua lista, convide os seus a fazerem o mesmo. Vocês verão que, mesmo com todos os desafios, o ano de 2020 nos fez melhores, mais fortes e mais conscientes.

Desejo a você um Feliz Natal e um 2021 de plena renovação.

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.
Foto_samanta

Samanta Luchini

Mestre em Administração com Foco em Gestão e Inovação Organizacional e Especialista em Gestão de Pessoas pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul - USCS.
Psicóloga pela Universidade Metodista de São Paulo.
Executive & Life Coach em nível Sênior, com formação internacional pelo ICI (Integrated Coaching Institute) em curso credenciado pela ICF (International Coach Federation).
Professora convidada dos programas de pós-graduação da FGV/Strong, Universidade Metodista e Senac, dos programas de MBA da Universidade São Marcos e Unimonte, e dos cursos FGV/Cademp, para a área de Gestão de Pessoas. Professora conteudista do Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos – UNIFEOB.
Atua há mais de 19 anos com Gestão de Pessoas em diversas empresas e segmentos, dentre elas Wickbold, Bridgestone, Bombril, Solar Coca-Cola, Porto Seguro, Grupo M. Dias Branco, Prensas Schuler, Arteb, Grupo Mardel, Tegma, Pertech, Sherwin-Williams, Grupo Contax, Grupo Libra, Grupo Sigla, Unilever, Engecorps, Nitro Química, Grupo Byogene, Netfarma, NTN do Brasil e Toyota.
Em sua trajetória profissional e acadêmica, já desenvolveu mais de 17.500 pessoas, com uma média de avaliação superior a nota 9,0 em todos seus treinamentos.
Palestrante, consultora de empresas e autora de diversos artigos acadêmicos publicados em congressos e revistas.
Colunista da revista Manufatura em Foco – www.manufaturaemfoco.com.br


Mais artigos de Samanta Luchini

Comentários