Pilares do Desempenho

3 pilares do desempenho profissional

Olá amigos do Portal CIMM. Neste artigo não vou falar de tecnologia e de como ela muda a percepção de como desenvolvemos, fabricamos, ou usamos produtos, mas sim sobre as pessoas que fazem isso.

Vou tentar abordar dois assuntos ao mesmo tempo, mas de um ponto de vista pessoal, pois não sou especialista nessa área que vamos entrar. Sendo assim, vou dar uma opinião que vocês podem concordar, ou não.

Gostaria de falar de duas coisas que, de alguma forma, estão ligadas, pois relacionam-se diretamente com como as pessoas podem ser mais produtivas em suas atividades.

Discutirei sobre como uma pessoa pode se considerar satisfeita com a sua atividade e sobre uma ferramenta que pode trazer ganhos para esta.

Na minha opinião, a satisfação de uma pessoa está baseada em três pilares:

  1. Oportunidade de carreira
  2. Remuneração
  3. Ambiente de trabalho

Logicamente, se você tem estes 3 pilares, pode se considerar uma pessoa acima da média e, então, agarre seu emprego com unhas e dentes. Mas vamos falar da vida real.

Supondo que uma pessoa reconheça que um desses pilares não seja tão forte. Neste caso, temos as seguintes possíveis combinações:

Desta forma, se uma pessoa tem perspectiva de crescer e boa remuneração, mas não tem um bom ambiente de trabalho, ela ainda aceita a sua situação e trabalha com bom desempenho. O mesmo acontece para as outras combinações dois-a-dois dos pilares descritos.

A insatisfação com um pilar é aceitável, mas quando um segundo pilar se torna fraco, a produtividade e a motivação despencam.

O papel dos gestores e dos chefes de equipes envolve, além de atender às necessidades técnicas, dar atenção aos pilares, pois estes vão impactar diretamente no desempenho de toda a equipe. Isso é especialmente importante se o pilar fraco for o do ambiente de trabalho, uma vez que passamos de 8 a 10 horas do nosso dia neste, convivendo com pessoas que não necessariamente escolhemos, temos afinidade, ou amizade.

Neste ponto entra o outro tópico deste texto: o ócio produtivo. É com ferramentas como esta que podemos integrar o time, através da criação de condições para que, dentro do próprio ambiente de trabalho, as equipes possam interagir em atividades não necessariamente relacionadas ao trabalho em si, mas semelhantes a este, que permitam o surgimento de ideias e pontos de vistas diferentes.

Além de atividades em equipe, também é possível oferecer aos colaboradores o acesso a ambientes, dentro da própria empresa, que proporcionem momentos de descontração individual, nos quais se possa “desligar” por alguns instantes da atividade rotineira e fazer algo aparentemente desvinculado ao trabalho. Salas de Leitura, convênio com academias, cursos de idiomas, sessões de massagem, ou quaisquer outras coisas que façam as pessoas olharem para o mundo por um outro prisma.

É em momentos como estes que as ideias fluem e soluções não lineares de problemas aparecem, favorecendo inovação e a quebra de paradigmas: o chamado “pensar fora da casinha”.

Muitas vezes estamos tão próximos dos problemas que não conseguimos ver o todo, e é necessário se afastar para que se tenha uma visão mais ampla da situação.

Proporcionar aos colaboradores pilares fortes e condições de aprimorar as ideias não são luxos dos quais as empresas podem abrir mão, afinal as pessoas são o seu bem mais valioso. São elas que detém o conhecimento dos produtos, os relacionamentos com clientes, com fornecedores e compõem a personalidade da empresa.

Tire as pessoas das empresas e restarão apenas prédios com máquinas e computadores, que não produzem nada.

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.
Tópicos:
Mauro

Mauro Duarte G. Santos

Engenheiro Mecânico formado na UNESP em 1995, pós-graduação em administração industrial e gestão de projetos pela Fundação Vanzolini. Atua no mercado de CAD/CAE/CAM/PLM há 17 anos. Atualmente MSC Software e antes disso na PTC (16 anos), SDRC(2 anos)(Grupo Siemens) e como Eng Projetista (2 anos) com usuario de CAD e CAE


Mais artigos de Mauro Duarte G. Santos

Comentários ()