A escolha de uma ferramenta corporativa para gestão da informação

Escolha de uma solução de PLM para gestão do ciclo de desenvolvimento de produto.

Caros amigos, nos artigos anteriores falamos do valor que o modelo 3D pode trazer para processo de desenvolvimento do um produto e nas fases subsequentes de manufatura e serviço. Agora queria dar prosseguimento a este assunto, mas com uma abordagem um pouco diferente. Parafraseando o comercial de pneus de uns anos atrás: “Não existe potência sem controle”. Esta frase cai como uma luva no ambiente de desenvolvimento de produto.

Não adianta ter uma ferramenta 3D extremamente potente e robusta se não é feita a gestão dessa informação.

Estes arquivos sofrem revisões, necessitam de controle de acesso, sofrem mudanças que irão impactar no custo do produto. Existe inter-relacionamento entre as peças, montagens, documentação 2D e são esses arquivos que contêm a maior parte do conhecimento do desenvolvimento do produto.

Neste ponto, começam a surgir algumas perguntas nas cabeças dos gestores. Por que eu preciso de um PLM, se no final do dia o produto está saindo da fábrica e sendo entregue ao cliente? Tudo bem, o produto está saindo, mas é melhor que o concorrente? Estou ganhando mercado? Meu cliente está satisfeito e vai comprar novamente? Quais as iniciativas de negócio que a direção da corporação está planejando para os próximos anos e como vamos atender essas iniciativas?

A solução adequada para a gestão dessa informação é uma solução de PLM ( Product Lifecucle Management ). Ok, até aí nenhuma novidade, mas como selecionar uma ferramenta de PLM?

Para isso devemos fazer algumas perguntas que vão nos direcionar para uma solução mais adequada.

Vamos listar algumas dessas perguntas:

- O ambiente a ser gerenciado é multiCAD?

- Essa solução será restrita a engenharia ou pode ser escalável para toda a corporação?

- Qual a plataforma mais escalável e de fácil acesso para implementar?

- Essa solução será integrada a outras ou será estanque?

- Vou ficar dependente do meu fornecedor de tecnologia ou vou ter condições de ter acesso aos processos e alterá-los quando quiser?

- Quais são os problemas que eu tenho que essa solução vai atender?

- Como posso melhorar, automatizar, modernizar os processos atuais e como medir ganhos nas melhorias dos processos?

Estes são os pontos básicos para o início do processo de escolha de uma solução de PLM.

Vamos começar a identificar algumas respostas para esse monte de perguntas:

Uma solução de ERP não está preparada para fazer a gestão do desenvolvimento, pois um determinado item só vai estar cadastrado quando estiver pronto para ser manufaturado. Uma analogia rápida, podemos dizer que o ERP é como um espelho retrovisor, pois ele olha para o que já passou (já foi desenvolvido) e não para o que está sendo e será desenvolvido na corporação.

O ambiente de desenvolvimento de produto quase nunca é uni-CAD, sempre existem trocas de informação com fornecedores, clientes e parceiros, e essas informações também devem ser gerenciadas.

Uma métrica de mercado diz que para cada pessoa que cria uma informação mais dez pessoas vão consumir esta informação na corporação, dito isso, uma solução de gestão da informação deve ser escalável para toda a empresa, atendendo métodos e processos, manufatura, publicações técnicas, qualidade, vendas, qualidade e pós-vendas.

Não existe nada mais escalável e de fácil implementação que uma ferramenta em plataforma WEB. Já que esta solução de PLM vai conter todas as informações do produto, é necessário que ela permita integração com as demais soluções da corporação, como o ERP, CRM, integrando e automatizando processos.

É fundamental a elaboração de um critério técnico consistente e elaborado em conjunto por todos os departamentos que possivelmente farão uso da solução.

A elaboração de uma prova de conceito com os fornecedores de solução pode ser uma ferramenta útil para saber se a ferramenta tem a funcionalidade desejada.

Estas são algumas dicas e de forma muito simplista, o processo de solução de PLM é muito mais complexa que a descrita nesse artigo e sempre deve ser feita com muito critério.

Não apenas para a escolha de um PLM, mas para qualquer solução corporativa, temos que ter foco em atender todos os requisitos técnicos e também os processos internos, pois as melhorias desses processos é que vão trazer verdadeiros ganhos e endereçar as iniciativas técnicas com as iniciativas de negócios estabelecidas pela direção da corporação.

As informações e opiniões veiculadas nesse artigo são de responsabilidade exclusiva do autor e não representam a opinião do Grupo CIMM.
Tópicos:
                       
Mauro

Mauro Duarte G. Santos

Engenheiro Mecânico formado na UNESP em 1995, pós-graduação em administração industrial e gestão de projetos pela Fundação Vanzolini. Atua no mercado de CAD/CAE/CAM/PLM há 17 anos. Atualmente MSC Software e antes disso na PTC (16 anos), SDRC(2 anos)(Grupo Siemens) e como Eng Projetista (2 anos) com usuario de CAD e CAE


Mais artigos de Mauro Duarte G. Santos

Comentários