Rio ganha uma fábrica de trens

A Supervia vai investir R$ 300 milhões na compra de trens e construção da nova fábrica, que inicia em janeiro de 2013

A concessionária de trens urbanos do Estado do Rio SuperVia - controlada pela Odebrecht TransPort - anuncia hoje (03) a construção de uma fábrica para montagem de trens em Deodoro, zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, em parceria com a francesa Alstom. Pelo acordo, a SuperVia vai investir R$ 300 milhões, sendo R$ 20 milhões na obra da unidade fabril e os outros R$ 280 milhões na compra de 20 trens que serão montados pela companhia francesa no local e entregues entre fevereiro e agosto de 2014. As obras da fábrica começam em janeiro de 2013 e deverão se estender por sete meses.

A decisão de construir a fábrica, segundo o presidente da SuperVia, Carlos José Cunha, teve como principal objetivo adiantar a demanda dos 20 trens que já faziam parte de um compromisso da concessionária com o Estado do Rio e deveriam ser entregues entre 2016 e 2020. A fábrica ficará em um terreno de 32 mil metros quadrados, que já pertencia à SuperVia, e terá índice de nacionalização de 70%. Segundo o executivo, a iniciativa também deverá facilitar a obtenção de crédito no mercado nacional.
 
O aporte de R$ 300 milhões da SuperVia faz parte do plano de investimentos da empresa, que prevê um total de R$ 1,2 bilhão entre 2011 e 2016. O montante, segundo Cunha, deveria ser investido até 2020. "Com essa antecipação das compras do trens, a partir da construção da fábrica, vamos atingir esse montante [de R$ 1,2 bilhão] até 2016", disse o executivo. Serão gerados, no local, 200 empregos diretos durante a operação.
 
Para o plano de investimentos, o BNDES já havia enquadrado um financiamento de aproximadamente R$ 800 milhões, e liberado um empréstimo-ponte no valor de R$ 248 milhões, para a SuperVia executar algumas ações. Agora, a SuperVia solicitou ao BNDES um enquadramento suplementar para financiar a compra dos trens, e foi autorizada pelo banco a utilizar parte dos recursos do empréstimo-ponte para pagar à Alstom a primeira parcela da compra dos trens.
 
A atual gestão da SuperVia assumiu em janeiro de 2011 e vai investir, até o fim de 2012, um total R$ 405,6 milhões. Dentre os principais objetivos traçados estão a renovação da frota de trens, com a aquisição de 110 unidades - da quais 90 foram adquiridas pelo governo e 20 pela SuperVia - e a modernização de outras 73. Além disso, a empresa ainda se comprometeu a instalar um novo sistema de sinalização, que segundo a companhia permitirá a redução de intervalos, além da revitalização da infraestrutura.
 
Dos 90 trens que cabem ao governo do Estado, 30 foram comprados da chinesa CNR e estarão em operação até o fim deste mês. Em outubro deste ano, o governo assinou um contrato para aquisição de outras 60 composições, que serão entregues à operação até o fim de 2015.
 
Atualmente, a SuperVia tem 190 trens e atua em uma malha viária de 270 quilômetro em cinco ramais com 100 estações. Está sendo construída mais uma estação em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O percurso atravessa o Rio e mais onze municípios da Região Metropolitana: Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Nilópolis, Mesquita, Queimados, São João de Meriti, Belford Roxo, Japeri, Magé, Paracambi e Guapimirim. A SuperVia transporta, em média, 540 mil passageiros por dia útil.
 
Por Marta Nogueira/ Valor Econômico
 
 



Comentários