Jacto deve montar fábrica no Brasil para atender Nissan

Nissan é a primeira montadora habilitada no Inovar-Auto

A fabricante japonesa de transmissões Jacto tem boas chances de montar uma fábrica no Brasil, segundo declarou o presidente Takashi Hata à agência Dow Jones. O empreendimento deverá atender principalmente a sócia Nissan, que detém 75% do capital acionário da empresa e está construindo fábrica em Resende (RJ), onde fará os modelos March e Versa e também motores, que vão precisar de caixas de câmbio. Existe a possibilidade, ainda, de serem produzidos carros da Mercedes-Benz na nova planta fluminense, dentro do acordo de cooperação global da Aliança Renault Nissan com a Daimler para desenvolvimento de veículos e componentes. 

A vinda da Jacto vem de encontro à necessidade de aumentar rápido o grau de nacionalização dos veículos que a Nissan produzirá em Resende, para que a empresa possa elevar suas compras nacionais e assim anular o acréscimo de 30 pontos porcentuais de IPI aplicados sobre todos os carros vendidos no País, de acordo com as normas do Inovar-Auto, o novo regime automotivo brasileiro. Também por esse motivo a Nissan já decidiu fazer motores no Brasil, conforme antecipou Automotive Business.
 
“Precisamos de outra planta fora a do Japão, tanto no Brasil ou Índia. Nossa presença nessas duas regiões é quase negligente, então temos de adicioná-las à nossa lista”, disse Hata à Dow Jones. Por enquanto, a Jacto está focada em ampliar a produção nas plantas já instaladas no México e na China, bem como começar um novo empreendimento na Tailândia. 
 
Os planos de internacionalização da Jacto atualmente são orientados pelos projetos da Nissan, seu controlador e maior cliente, responsável por dois terços do faturamento – de US$ 7,3 bilhões em 2011. A Jacto projeta mais que dobrar suas vendas até 2019, para US$ 12,7 bilhões, em linha com a ambição da Nissan de aumentar sua participação global dos atuais 6% para 8% até 2017, contando para isso com expansão em mercados emergentes como o Brasil.
 
Nissan é a primeira habilitada no Inovar-Auto
 
A Nissan é a primeira montadora habilitada pelo governo a operar dentro do novo regime automotivo Inovar-Auto, regulamentado no início de outubro. A portaria que habilita a montadora, divulgada na sexta-feira (19), no Diário Oficial da União, determina que a Nissan tem até 1º de fevereiro para apresentar ao governo seu projeto de investimento. De acordo com as normas do novo regime, o projeto deverá contemplar a descrição e as características técnicas dos veículos a serem importados e produzidos. 
 
Agora habilitada, a Nissan poderá importar 6.666 unidades por mês, perfazendo um total de quase 80 mil veículos para 2013, que não terão incidência do aumento de 30 pontos porcentuais do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Some-se a isso a cota de importação dentro do acordo automotivo com o México, cerca de 35 mil unidades, que a empresa pode trazer sem pagar imposto de importação de 35%. 
 
Segundo a agência de notícias Reuters, um representante da Nissan afirmou que a montadora deve retomar as vendas em patamares normais no Brasil a partir de novembro, depois que sua cota de importação do México acabou no fim de agosto, reduzindo a oferta de produtos no País. É de lá que a empresa traz os veículos de maior volume, como o hacth March e o sedã Versa. A falta de produtos causou queda de 55% nas vendas de setembro (4,5 mil) com relação a agosto (10 mil).
 
 
Tópicos:



Comentários