Iveco inaugura divisão de ônibus no Brasil com dois modelos

Cityclass reformulado e novo chassi S170 para urbanos e rodoviários são os primeiros produtos

A Iveco tornou oficial sua entrada no segmento de ônibus na segunda-feira, 1º, com a apresentação de sua nova unidade de negócio no Brasil, dedicada exclusivamente ao mercado de veículos de transporte de passageiros, que será dirigida por Paolo Del Noce, engenheiro italiano que acumula no País a função de diretor da divisão de veículos de defesa da marca na América Latina. Ele se reportará diretamente ao presidente da Iveco na América Latina, Marco Mazzu.

Mazzu explica que o investimento da montadora no desenvolvimento de ônibus no Brasil faz parte do pacote global de € 1 bilhão, que sustenta os projetos da marca no ciclo 2010-2014, mas não divulga o valor dedicado à nova divisão.
 
“Chegou a hora de fincar nossa bandeira no segmento de passageiros: com este novo negócio, podemos dizer que somos um novo player no mercado de ônibus, para o qual projetamos participação entre 10% e 11% nos próximos quatro anos.”
 
De acordo com Paolo Del Noce, a intenção da divisão é tornar a Iveco do Brasil um produtor full liner no segmento de passageiros em cinco anos. “Como na Europa, para ser full liner também no Brasil, temos de cobrir todos os segmentos, começando pelo miniônibus, ter opções de motor dianteiro e traseiro, podendo chegar a modelos híbridos ou movidos a GNV, observando sempre o interesse do mercado.” 
 
A montadora figura como a segunda maior fabricante de ônibus da Europa, por meio da marca Irisbus, adquirida pela Iveco em 2003 após 13 anos de joint venture com a Renault. A divisão Irisbus vendeu 8 mil unidades em 2011 e representa 12% do faturamento global da montadora. Para Del Noce, o Brasil é uma das grandes oportunidades da empresa no segmento de veículos de passageiros, pois já desponta como um mercado maior que o da Europa. Ele estima que em dois anos a América Latina será duas vezes maior.
 
“Apesar de estimarmos queda nas vendas totais do segmento este ano, algo como 10%, em 2013, com as compras do governo para o programa Caminho da Escola e com as obras de corredores de BRT nas cidades-sede da Copa, em 2013 o mercado deve retornar ao nível de 2011”, estima. No ano passado, as vendas de ônibus somaram 34,6 mil unidades, o que representou crescimento de 22% sobre o volume do ano anterior.
 
Estratégia de produtos
Os primeiros modelos da gama de ônibus da Iveco no Brasil serão o novo Cityclass, micro-ônibus que será oferecido nas versões de fretamento e turismo, além da tradicional versão escolar, com lançamento marcado para novembro próximo, e o chassi da categoria de 17 toneladas, que atende segmentos urbano e rodoviário, cujo projeto foi batizado de S170, com motor dianteiro e previsto para chegar ao mercado em meados de 2013. Ambos serão produzidos na fábrica da Iveco de Sete Lagoas (MG). 
 
As linhas de ônibus deverão ocupar de 10% a 20% da produção total da fábrica mineira, mas "não haverá contratação específica", disse Mazzu. A empresa prevê uma gama completa de veículos de passageiros até 2017. 
 
Sobre a estratégia de vendas e distribuição, Del Noce informa que o novo Cityclass, desenvolvido em parceria com a encarroçadora Neobus, será oferecido na rede de concessionárias Iveco, hoje com 106 casas. O modelo ganhou nova versão de 4,35 metros de distância entre-eixos, o que permitiu aumentar em 25% sua capacidade de transporte de passageiros, de 29 para 36 pessoas. O novo veículo também ganhou 400 kg de PBT, chegando a 7,2 toneladas. No design, foram remodelados o capô, grade frontal e faróis, além dos novos acabamentos nas janelas e laterais do veículo. Equipado com motor FPT F1C, que desenvolve 170 cv, o conjunto vem com tecnologia EGR, que dispensa o uso de Arla 32. A transmissão é ZF 6S420, de 6 marchas, cuja alavanca se encontra agora no painel.
 
No caso do S170, Del Noce conta que a divisão está em fase de definição das características de uma rede dedicada ao segmento, que deve receber investimentos a partir de 2013. Segundo o executivo, os concessionários já credenciados terão preferência no novo negócio. No Brasil, a Iveco pretende oferecer apenas o chassi, com encarroçadora à escolha do cliente, diferente do modelo de negócio na Europa, onde a Irisbus produz o chassi e também monta a carroceria. Para este segmento, de 17 toneladas, que representa 40% das vendas do mercado de ônibus no Brasil, o executivo prevê participação da Iveco entre 12% e 14% em quatro anos.
 
Ainda sobre o S170, o diretor de plataforma de pesados, veículos especiais e ônibus, Marcello Motta, conta que o modelo foi desenvolvido pela equipe de engenharia de Sete Lagoas e especificamente para o mercado brasileiro. Ele revela que desde 2006 que a Iveco desenvolve e testa chassis de ônibus na América Latina. De um teste de 50 veículos Euro 3 com o chassi CC170E22, produzido em Córdoba, na Argentina, que acumulou 10 milhões de quilômetros rodados, a empresa enxergou a necessidade de desenvolver um veículo adaptado às condições brasileiras. “Os testes mostraram que o chassi atendia o mercado latino-americano, mas não o de transporte urbano brasileiro. O S170 foi pensado para o Brasil, com tecnologia da Irisbus.”
 
O S170 é equipado com o novo motor FPT NEF6ID commom rail, de 6,7 litros, que faz sua avant première neste chassi. O propulsor só será utilizado pela Iveco na Europa com os veículos Euro 6. Aqui, ele foi calibrado para as normas do Proconve P7 (Euro 5). O entre-eixo permite carrocerias de até 13,2 metros de comprimento. O tanque comporta 350 litros de combustível e o de Arla até 32 litros. O chassi está em fase de testes finais de durabilidade.
 
Segundo Del Noce, o preço do chassi será comunicado na oportunidade de seu lançamento, previsto para meados do próximo ano. Já o novo Cityclass tem preços que variam de R$ 145 mil a R$ 200 mil.
 
Por Sueli Reis/Automotive Business
 
Automotive Business - 01/10/2012
Tópicos:
              



Comentários