Verba para investir na indústria cai 18,9%

A desaceleração da economia e o clima de incerteza gerado pela crise internacional derrubaram os recursos para investimento na indústria.

 

A desaceleração da economia e o clima de incerteza gerado pela crise internacional derrubaram os recursos para investimento na indústria, no primeiro semestre, para o menor nível desde 2010. 
 
Dados do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) - principal financiador do investimento no país- apontaram queda de 18,9% nos desembolsos ao setor ante o mesmo período do ano passado. 
 
Os segmentos de metalurgia básica, extrativa, química e petroquímica, têxtil e vestuário, alimento e bebida e material de transporte tiveram a maior redução. 
 
"A retração na economia e o cenário de crise fizeram com que os investimentos planejados perdessem fôlego", disse o professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) Emerson Marçal. 
 
O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, deve fazer um balanço com os dados do semestre na próxima semana. Até lá, a expectativa é que outros indicadores possam minimizar a queda. 
 
Os setores agropecuário e de infraestrutura também registraram queda de, respectivamente, 9,6% e 6,9%, no volume de recursos repassados pelo banco no período, de acordo com os dados obtidos pela Folha. 
 
Somando os desembolsos aos dois principais setores econômicos - indústria e infraestrutura -, a queda foi de 12,4% na comparação com o primeiro semestre de 2011. 
 
Nos desembolsos gerais, a queda no semestre foi de 3,7%, para R$ 53,5 bilhões. 
 
No setor de infraestrutura, a queda maior foi nos desembolsos para a área de transportes, que abrange investimentos em ferrovias e rodovias e atividades auxiliares. 
 
Por Venceslau Borlina Filho/ Folha de S. Paulo



Comentários