Exportações de álcool para os EUA crescem mais de 900% em 2006

Fonte: Folha Online - 31/05/07

As exportações de álcool para os EUA no ano passado tiveram um crescimento de mais de 900% em relação a 2005, destaca o relatório "Barreiras a produtos brasileiros no mercado dos Estados Unidos", da Embaixada do Brasil em Washington, divulgado nesta quarta-feira.

Segundo o documento, as exportações do produto cresceram devido ao aumento da demanda ocasionado pelo banimento do aditivo MTBE (componente altamente poluente usado no combustível). As vendas de álcool para os EUA no ano passado atingiram US$ 1 bilhão, contra US$ 98 milhões em 2005 --uma diferença de cerca de 920%.

O álcool brasileiro enfrenta dificuldades para entrar no mercado americano há mais de 20 anos, devido a medidas protecionistas e subsídios à produção doméstica nos EUA, segundo o relatório. Em 1980, diz o texto, o governo americano estabeleceu uma tarifa sobre o álcool importado de US$ 0,54 por galão (3,785 litros).

A produção de álcool nos EUA --onde é obtido a partir do milho-- passou de 175 milhões de galões em 1980 para 4,2 bilhões de galões no ano passado, devido ao estímulo do governo americano ao consumo de álcool no país.

Em sua visita ao Brasil em março, o presidente dos EUA, George W. Bush, não cedeu aos apelos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para derrubar a tarifa cobrada sobre o álcool brasileiro. Bush disse que a tarifa continuará sendo cobrada, pelo menos, até 2009.

"Isso não vai acontecer [reduzir a tarifa]. Ela permanecerá até 2009 e depois disso o Congresso dará um jeito", disse Bush à época. O presidente americano também defendeu a meta de aumentar o consumo de combustíveis alternativos, como o álcool, nos EUA para 7,5 bilhões de galões em 2012 e para 35 bilhões de galões em 2017.

"A expectativa é de que a produção de álcool continue a crescer nos EUA nos próximos anos como resultado dos incentivos econômicos e políticos", diz o texto.
Tópicos:



Comentários