Painéis solares de plástico podem baratear a energia

Cientistas britânicos descobriram um jeito de produzir painéis solares usando plástico em vez de silício. A nova tecnologia pode ajudar a baratear e popularizar ainda mais a energia solar, uma boa notícia para os países que estão buscando formas de reduzir as emissões de gases e a dependência de fontes não renováveis de energia.

A maioria dos painéis solares é atualmente produzida com células fotovoltaicas de silício. Embora o silício seja um dos elementos mais abundantes do planeta, presente na areia e nas rochas, os pesquisadores de Sheffield e Cambridge (ambas da Inglaterra) e de uma série de agências veem vantagem em sua substituição. Conforme a equipe, células solares de plástico seriam fabricadas com mais rapidez e a um custo menor.

O que conta a favor da célula de plástico é que sua produção pode ser feita a baixas temperaturas, usando filmes plásticos e uma prensa. Já a célula de silício exige temperaturas altíssimas para bases mais rígidas, como vidro ou metal. Agora, os pesquisadores querem desenvolver sistemas mais duráveis antes de iniciar a produção em larga escala, o que, preveem, deva começar entre cinco e dez anos.

Tópicos:



Comentários