Aços para trabalho a quente suportam condições severas

Este tipo de aço possui resistência a variações de temperatura, abrasão e pressão sem a formação de trincas


Continua depois da publicidade


Os aços para trabalho a quente foram desenvolvidos para suportar condições combinadas de calor, pressão e abrasão associadas com puncionamento, cisalhamento ou conformação de metais em alta temperatura. Os aços do grupo H têm usualmente médios teores de carbono, entre 0,35 e 0,45%, e teores combinados de cromo, tungstênio, molibdênio e vanádio entre 6 e 25%. O grupo é dividido em aços ao cromo, ao tungstênio e ao molibdênio.

A tabela abaixo mostra a composição química dos aços para trabalho a quente.

Características
Estes aços resistem a condições severas de temperatura, pressão e abrasão em serviço. Possuem excelente resistência à formação de trincas em condições de resfriamento e aquecimento sucessivos (especialmente os aços cromo). Os aços tungstênio destacam-se pela sua alta resistência à abrasão em alta temperatura.

Microestrutura
São fornecidos como recozidos, com microestrutura de pequenos carbonetos esferoidizados dispersos em matriz ferrítica. Para a sua utilização há necessidade de temperá-los e a microestrutura é constituída de finíssimos carbonetos em matriz martensítica revenida.

Aplicações
Punções, matrizes de forjamento, matrizes de extrusão e mandris. Estes componentes são comuns no forjamento em aço, bronze e latão, na extrusão de ligas de cobre e ligas de níquel e extrusão e injeção de alumínio.



Tópicos:
  



Comentários