Programação off-line para dobradeiras ganha espaço

A programação off-line, muito difundida para as máquinas de corte de chapas, é relativamente recente para as dobradeiras. Ainda hoje, em grande parte das empresas a programação é feita na própria máquina. “Isso obriga o operador a parar o processo de produção para fazer a programação”, explica o diretor da MapData, Paulo Onuchic.

Um produto que está no mercado há 35 anos começa a ganhar espaço. Em fevereiro deste ano a MapData fechou sua segunda parceria no País com a fabricante de máquinas Newton, que incluiu o software em seus equipamentos. A primeira foi realizada no ano passado com a Gasparini. “Há um ano, o assunto programação off-line de máquinas dobradeiras não era muito conhecido. Graças ao alcance e a credibilidade da Gasparini, o mercado passou a nos procurar com muito mais frequência, mostrando grande interesse no Radan”, diz o executivo. Ainda segundo Onuchic, o acordo possibilitou à empresa aumentar consideravelmente sua base de clientes, além de desempenhar um importante papel educativo junto ao mercado.

Com o Radan, o processo é desenvolvido e simulado em um computador, sem perda de tempo de máquina. “Assim é possível avaliar diversas possibilidades e antecipar eventuais problemas, reduzindo o custo de produção e tempo de execução”, diz Onuchic. Entre as operações que o programa pode gerenciar estão o tempo no pátio fabril, problemas com sequência de dobra, problemas na escolha de ferramentas erradas, problemas de colisão da peça com ferramenta ou qualquer parte da máquina.




Comentários