Zincagem: história e características

A galvanização a fogo, ou galvanização a quente, é o processo mais antigo utilizado na proteção de objetos de ferro ou aço. O processo, existente desde o século XVIII, utiliza o zinco no tratamento das peças. O artigo Princípios da galvanização a fogo, de Fabio Domingos Pannoni, engenheiro proteção estrutural da Gerdau Acominas, busca esclarecer dúvidas e mostrar a história do processo.

Resumo: Este artigo técnico trata, de modo sucinto, da história da galvanização a fogo, de suas principais vantagens e desvantagens, de seu processo de aplicação industrial, das características físicas do revestimento e dos mecanismos de proteção oferecidos pelo zinco.

Processo de galvanizaçãoO zinco apresenta, na maioria dos ambientes naturais, velocidades de corrosão bastante inferiores àquelas observadas para os aços carbono. Além disso, por ser menos nobre que este, ele o protege, em qualquer descontinuidade do revestimento, através de um mecanismo conhecido como proteção catódica. Estas são duas das razões de seu enorme sucesso, tornando o zinco o metal de maior exposição à atmosfera.

Tópicos:



Comentários