Energias renováveis em debate

Fonte: IDER - 09/05/07

Serão dois dias de debate, na quarta e quinta-feira (09 e 10/05, das 09 às 18:30 hs). Os mais importantes centros de pesquisa das universidades brasileiras estarão participando com cientistas renomados que se dedicam ao desenvolvimento de tecnologias para produção de energia limpa.

Nesse evento vão ser apresentados trabalhos acadêmicos de diversas linhas de pesquisa, desde a energia produzida pelas ondas do mar, por fontes de hidrogênio, solar, projetos como o do Aeroporto de Santa Catarina, que deve ter seu auto-abastecimento de energia produzida por placas solares, energia eólica e biocombustíveis.

O governo, que participará com ministérios afins, Minas e Energia, Ciência e Tecnologia, Meio Ambiente, Agricultura, Indústria e Comércio e com os bancos de fomento, BNDES, Banco do Brasil, CEF, BASA, BNB, deve apresentar os resultados das iniciativas em relação à produção de energia de fontes renováveis, e apontar perspectivas para a política governamental coordenada pelo Programa de Incentivo a Fontes Alternativa de Energia Elétrica (PROINFA).

A indústria, representada pela CNI e lideranças de entidades empresariais do setor, contribuirão com análises sobre a situação atual e perspectivas para a ampliação das plantas industriais a fim de atender a demanda de equipamentos para produção de energia de fontes limpas. Os bancos de fomento, por sua vez, devem fazer uma avaliação dos investimentos e financiamentos feitos e apresentar propostas de apoio ao setor de produção de energias alternativas.

O seminário está sendo realizado, conjuntamente, pelas Comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Minas e Energia, Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, e Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica.

Requerido pelo deputado Paulo Teixeira, PT/SP, o seminário foi organizado com a finalidade de recolher contribuições para a “Lei Geral das Energias Renováveis”, que está sendo discutida. Paulo Teixeira, presidente da Subcomissão de Fontes Renováveis de Energia, Conservação, e Uso Múltiplo da Água vai propor ao final, a criação de um grupo de trabalho formado por parlamentares, representantes do governo federal (Ministérios e Bancos) e pesquisadores das universidades, para elaboração da lei.

A lei, segundo ele, será o marco regulatório necessário para dar perenidade à política nacional do setor. É necessário, desde já, estabelecer limites para a exploração das fontes renováveis de energia, para que os problemas causadores do aquecimento global não sejam substituídos por outros também danosos ao meio ambiente.
Tópicos:



Comentários