Romi participa da Mecânica desde sua primeira edição

Imagens: CIMM



Com 80 anos de idade, a Romi participou de todas as edições da feira da Mecânica, realizada há 50 anos. Uma das maiores empresas do setor de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos, vê a feira como uma ótima oportunidade de fechar negócios.

Com seis máquinas lançadas durante a Mecânica 2010, unindo a linha metal-mecânica com a de plásticos, a empresa possui uma estrutura completa para mostrar seus equipamentos e atender aos visitantes e clientes.

Os lançamentos da Romi para a Mecânica 2010 são o Centro de Usinagem Vertical Romi D 1500, o Centro de Torneamento Centur 45 e 50, o Centro de Torneamento GL 240 com CNC Mitsubishi M 70, o Centro de Torneamento Romi G 550, a Mandrilhadora Romi Lazzati HBM 130T. O diretor de comercialização da Romi, Hermes Lago, explica que "a empresa tem um compromisso com a renovação. A cada três anos de 40 a 45% dos equipamentos são completamente renovados".

Voltada para os pequenos empresários, a empresa lança a campanha "Meu Primeiro Romi", com o objetivo de facilitar o acesso de pequenos e médios fabricantes de peças ao Torno CNC Centur 30D. Durante a Mecânica 2010, entre 11 e 15 de maio, quem tiver interesse em conhecer melhor as condições de preço, mais acessível a faixa do mercado, e financiamento especialmente desenvolvidas para a campanha. “Estamos proporcionando aos pequenos e médios clientes a possibilidade de adquirir uma máquina de alta tecnologia, contribuindo para a elevação da qualidade e da produtividade da indústria nacional”, explica Lago.

Lago ainda lembra o compromisso que a Romi tem com o país. "O Brasil é a nossa raiz, nosso jogo é aqui". Apesar da crise que assolou o mundo nos dois anos anteriores, a empresa utilizou seus anos de experiência para superar a fase ruim e garante que entra no pós-crise com a capacidade necessária para atender as demandas do segmento.

No stand, os visitantes da Mecânica 2010 também podem apreciar o Romi-Isetta, primeiro carro fabricado em série no Brasil, entre 1956 e 1961. Com um modelo em exposição, até quem não é um amante de carros vai se interessar pelo automóvel com lugar para duas pessoas e com aparência de brinquedo de criança, mas que circulou, de verdade, pelas ruas do país.

Tópicos:
  



Comentários