Inpe transfere Programa Antártico para o RS

A transferência faz parte de um plano do instituto para expansão do Centro Regional Sul

Fonte: Agência FAPESP – 08/05/2007

O Programa Antártico do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que realiza pesquisas na área de estudos climáticos na Antártica e suas conexões com a América do Sul, será transferido para o Centro Regional Sul (CRS), em Santa Maria (RS).

De acordo com informações divulgadas pelo Inpe, a transferência faz parte de um plano do instituto para expansão do CRS. Serão instaladas em Santa Maria duas antenas de recepção de dados dos satélites Terra e Aqua (sensor Modis) e Noaa (sensor AVHRR), ambos da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (Noaa), nos Estados Unidos.

Segundo o Inpe, a antena para a recepção dos dados do AVHRR deverá ser instalada ainda em novembro. Já para a antena Modis, a previsão é o fim de 2008. A instalação das antenas, de acordo com o Inpe, visa a ampliar a capacitação local, fomentar a indústria e subsidiar a investigação científica e a sociedade pela disseminação de imagens de satélite em caráter operacional e sem custos conforme política do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

A direção do Inpe espera alocar pelo menos 15 vagas de nível superior para compor a equipe do CRS em concurso a ser aberto pelo MCT. Também pretende ampliar os estudos de ciências espaciais, com a implantação de um núcleo de clima espacial em Santa Maria, e estabelecer um programa de tecnologia de geossensores em convênio com as equipes da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

O projeto de criação da Unidade Regional Sul do Inpe começou em 1996, quando a UFSM cedeu ao instituto um terreno de 1,2 hectares. Para disciplinar o uso dessa área, o Inpe estabeleceu um projeto de implantação cujo foco inicial foi a construção de um prédio para a instalação do Centro Regional Sul e de um observatório espacial, em São Martinho da Serra.

O Inpe de Santa Maria dispõe hoje de um prédio em plenas condições de uso, para o qual já foram destinados mais de R$ 8 milhões desde 2000. Em 2006, a Unidade de Santa Maria foi transformada no CRS, com a contratação de oito doutores e a assinatura de um convênio de cooperação com a UFSM.

A cooperação prevê projetos conjuntos nas áreas de ciência espacial, meteorologia, observação da terra e engenharia espacial; a instalação de um Centro de Prevenção de Desastres Naturais; e a transferência do Campus Brasil do Centro Regional de Tecnologia Espacial para a América Latina e Caribe, que realiza um Curso Internacional de Sensoriamento Remoto apoiado pelas Nações Unidas e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Mais informações: www.inpe.br
Tópicos:



Comentários