Daimler, Nissan e Renault acertam aliança

Imagens: Divulgação

A francesa Renault, a japonesa Nissan  e a alemã Daimler acertaram formar uma aliança para desenvolver e fabricar carros elétricos, carros de passageiros e veículos comerciais leves. Também pretendem cooperar no desenvolvimento de motores a gasolina e a diesel menos poluentes.

A construção geral do acordo é baseado no princípio de uma participação cruzada de 3,1% entre as três empresas. Será realizada por meio da troca de ações.

Conforme nota divulgada nesta quarta-feira, a Daimler terá 3,1% das novas ações emitidas pela Renault e obterá da Renault 3,1% das ações existentes da Nissan. A montadora francesa ficará com 3,1% dos papéis da Daimler e aceitou independentemente trocar 1,55% da Daimler com a Nissan por 2% de ações da Nissan. Renault e Nissan vão possuir, cada, 1,55% das ações em tesouraria da Daimler.

A cooperação estratégica será administrada por meio de um comitê com representação de todas as companhias envolvidas. Este comitê será presidido por Carlos Ghosn, executivo-chefe da Renault-Nissan Alliance, e Dieter Zetsche, presidente do Conselho de Administração da Daimler, e será dirigido por executivos seniores das três montadoras.

Vantagem mútua
Após a crise que afetou o setor, os dois grupos automobilísticos buscam juntar forças por meio dessa aliança de capital, a fim de compartilhar tecnologia e reduzir custos. Especialistas alemães acreditam que, por meio da cooperação com a Renault, a Daimler poderia economizar até 600 milhões de euros (800 milhões de dólares) em custos de desenvolvimento.

A Daimler, fabricante da linha de luxo da Mercedes-Benz e dona da marca Smart, quer aproveitar a experiência em carros pequenos da Renault, fabricante do Clio. Enquanto isso, Renault e Nissan teriam acesso ao know-how de motores da empresa alemã, fabricante de robustos modelos a diesel para carros de luxo e caminhões.

Segundo Philippe Barrier, especialista em investimentos da Societé Generale Cross Asset Research, o negócio traria vantagens para ambas as partes. A parceria permitiria à Daimler comprar tecnologia a bons preços, enquanto a Renault e a Nissan poderiam dividir custos para a pesquisa e para o desenvolvimento de modelos maiores, explicou ele.

As três empresas também planejam uma parceria no desenvolvimento de tecnologias ambientais, considerando os crescentes gastos nesse campo. A Renault e a Nissan está desenvolvendo uma extensa linha de veículos elétricos de emissão zero, que inclui o Nissan Leaf.

Numa parceria que já dura 11 anos, a Renault adquiriu 44,3% da Nissan, enquanto a japonesa detém 15% da francesa.  O Estado francês possui 15% das ações da Renault.

As empresas Renault, Nissan e Daimler venderam 7,22 milhões de veículos em 2009. Esse número somente fica aquém dos 8,6 milhões vendidos pela aliança entre a Volkswagen e a Suzuki e dos 7,81 milhões vendidos pela Toyota.

Tópicos:
  



Comentários