Parque eólico terá investimentos de R$ 400 milhões

Fotos: Divulgação

Um investimento de aproximadamente R$ 400 milhões vai proporcionar a implantação de um parque eólico com três usinas, com capacidade instalada para geração de 90 MW de energia elétrica a partir da força dos ventos. A implantação do parque eólico de Brotas de Macaúbas irá gerar 300 empregos diretos na fase de implantação e mais 30 empregos na fase de operação, com previsão de faturamento anual estimado em R$ 41 milhões. As obras têm previsão para começar no mês de março e conclusão prevista para julho de 2011.

A novidade foi anunciada nesta sexta-feira (26), na Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração (SICM), quando o secretário James Correia recebeu os diretores da empresa Desenvix, José Antunes Sobrinho e Liu Ming, além do prefeito de Brotas de Macaúbas, Litercílio Nunes.

O empreendimento confirma os estudos realizados há dez anos, que identificaram o grande potencial eólico brasileiro da região Nordeste, na faixa litorânea que vai do Rio Grande do Norte ao Piauí e na região da Chapada Diamantina, na Bahia. Entretanto, diversos outros aspectos fizeram com que a Desenvix escolhesse a Bahia.

Segundo Sobrinho, pesquisas realizadas durante três anos apontaram a Bahia como o melhor local para o investimento. “Como empreendedores, preferimos o estado porque construções deste tipo perto do litoral são mais complexas do ponto de vista ambiental e logístico. Além disso, temos um bom histórico de investimentos na Bahia”, diz, citando as inversões feitas no Polo de Camaçari e a participação na concessão da Via Bahia, que irá administrar por 25 anos o trecho de 680 quilômetros das rodovias BR-116 e BR-324, e BA-526 e BA-528.

A Desenvix tem participação em empreendimentos de geração de energia elétrica em três estados brasileiros; sete estão em operação e três em construção. A Desenvix foi uma das baianas contempladas no leilão de fontes eólicas, realizado em 14 de dezembro de 2009, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), vinculada ao Ministério de Minas e Energia. “O nosso grupo assume o compromisso de criar riquezas onde a empresa se estabelece e conta com as autoridades para deixar recursos perenes na região”, diz Sobrinho.

Tópicos:



Comentários