Empresas se comprometem a reduzir CO2

Objetivo é avançar rumo a economia de baixo carbono

Fotos: Divulgação

Os maiores grupos empresariais País assinam a Carta Aberta ao Brasil sobre Mudanças Climáticas e se comprometem a realizar ações para reduzir as emissões de CO2 em suas atividades. O carbono é um dos gases do efeito estufa. Entre as empresas que assinam o documento estão: Aracruz Celulose, Votorantim, Vale, Pão de Açúcar, Camargo Correa.

O documento, lançado em São Paulo, que será agora encaminhado ao presidente Lula, é o primeiro em que empresários, representando o setor produtivo, apresentam ao governo uma proposta de redução de emissões. As organizações que aderiram à carta pretendem publicar inventários trienais de emissões de gases estufa, incluir estratégias para a escolha de produtos e serviços que permitam a redução das emissões de CO2.

O objetivo das empresas é avançar rumo a uma economia de baixo carbono. Como contrapartida, pedem ao governo a agilização do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), apoio para a criação de mecanismo de Redd (Redução de Emissão por Desmatamento e Degradação) e, ainda, que o Brasil assuma uma posição de liderança nas negociações sobre Mudanças Climáticas, em Copenhague.

Para o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, "os setores mais dinâmicos estão mostrando a cara e assumindo responsabilidade, essa participação é fundamental". Na sua opinião, "o Brasil vai chegar a Copenhague com os números de reduções de gases estufa em declínio". O ministro destacou que o "Brasil está pronto para assumir uma posição de protagonismo na conferência de Copenhague". São as seguintes as empresas que assinam o documento: Aflopar, Andrade Gutierrez, Aracruz Celulose, Camargo Correa, CBMM, Coamo Agroindustrial Cooperativa, CPFL, Estre Ambiental, Grupo Pão de Açúcar, Light, Natura, Odebrecht, OAS, Polimix, Suzano, Vale, Votorantim, VCP, Wal Mart Brasil.




Comentários