Conformação Mecânica do Metais

Fotos: Divulgação

A conformação mecânica dos metais, também conhecida como transformação mecânica de metais, é um campo de grande importância dentro da área de técnicas de fabricação de peças metálicas, e refere-se à mudança de forma e de dimensões de metais através da aplicação de esforços mecânicos externos.

Apesar da crescente presença de materiais cerâmicos e poliméricos nos artefatos utilizados na vida moderna, os metais, e em especial o aço, mantém extraordinária importância no processo industrial. Isto ocorre especialmente nas aplicações ditas “estruturais”, onde os metais são utilizados graças às suas características mecânicas (alta resistência e capacidade de deformar-se sem se fraturar) associadas a um custo adequado. Exemplos destas aplicações são as carrocerias de automóveis, das máquinas dos mais variados tipos, das estruturas metálicas de prédios, etc. Para se ter uma idéia de sua importância, basta lembrar que sua produção anual beira os 500 milhões de toneladas; das quais o Brasil produz atualmente cerca de 40 milhões de toneladas.

Os metais são inicialmente produzidos na forma líquida a partir dos minérios e usualmente são solidificados em formatos simples, tais como lingotes, tarugos, etc. Uma parte essencial da utilização dos metais pelos humanos é a mudança da forma e dimensões desses lingotes, tarugos, etc., até uma peça adequada para seu uso final. Esta transformação é estudada na área de conformação mecânica, que é o tema do presente livro.

Os produtos obtidos por conformação mecânica são tradicionalmente divididos em semi-acabados e acabados. Os semi-acabados destinam-se a uma operação ulterior, visando fabricar produtos de uso direto pelo consumidor.

Por exemplo, chapas são produtos semi-acabados produzidos por laminação, e que podem ser transformadas em peças acabadas tais como pára-lamas de automóveis. Arames são semi-acabados produzidos por trefilação, que podem ser transformados em um grande número de produtos acabados, tais como espirais de caderno, grampos, pregos, telas, etc. Do ponto de vista industrial, é comum a divisão da ação de empresas, algumas com foco na fabricação de semi-acabados e outras produzindo acabados. O setor siderúrgico, em especial, dedica-se basicamente à produção de semi-acabados de aço, comumente divididos em “planos” (chapas e tiras de aços) e “longos” (barras de seção variada, vigas, arames, etc.).

O livro Fundamentos da Conformação Mecânica dos Metais apresenta uma abordagem didática e simplificada, visando a aplicação das teorias existentes a situações práticas. Centra-se em algumas operações básicas de conformação mecânica voltadas, em sua maior parte, para a produção de semi-acabados, como a trefilação e a extrusão, que são empregadas na fabricação de barras e arames; e da laminação, tratada no livro para o caso da fabricação de planos (chapas e tiras). O forjamento é uma operação que pode produzir tanto semi-acabados (discos, barras, etc.) quanto produtos mais próximos dos acabados (forjamento em matriz fechada).

Escrito por Paulo Roberto Cetlin e Horacio Helman, é um livro dirigido para todos aqueles que trabalham na conformação mecânica - engenheiros de empresas, os que cursam graduação e pós-graduação em engenharia. A primeira edição desta obra data de 1983, e foi seguida por duas reimpressões, todas esgotadas. A constante demanda de colegas, alunos e engenheiros de usinas pelo livro levou à presente edição.

Saiba mais sobre o livro
aqui

Veja também o material didático do CIMM sobre conformação
aqui.
Tópicos:



Comentários