56% da frota no Brasil é financiada

Foto: Divulgação

Levantamento da Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), referente ao primeiro semestre deste ano, aponta que 56% da frota estimada de 24,4 milhões de veículos e comerciais leves com 15 anos de vida, em circulação no Brasil possui financiamento ativo.

Esse volume equivale a cerca de 14 milhões de consumidores, sendo que 38,6% têm alienação fiduciária gerada por operações de CDC (Crédito Direto ao Consumidor) ou Consórcio, 14,4% possuem arrendamento mercantil e 3% contam com algum outro tipo de financiamento (penhor mercantil, reserva de domínio, etc).

Outro dado relevante é sobre o saldo total das carteiras de Leasing e CDC para aquisição de veículos pelas pessoas físicas, que teve incremento de 14,7%, saltando de R$ 129,4 bilhões em junho do ano passado para R$ 148,5 bilhões no mesmo período de 2009.

Se analisadas separadamente, a carteira de Leasing cresceu 43,1%, passando de R$ 45,5 bilhões em junho de 2008 para R$ 65,1 bilhões em junho deste ano. Já o saldo da carteira de CDC teve uma retração de 0,6%, saindo de R$ 83,9 bilhões para R$ 83,4 bilhões, comparando o mesmo período.

O saldo acumulado do crédito das carteiras de Leasing e CDC corresponde a 5,1% do PIB (Produto Interno Bruto) contra 4,4% em relação ao mesmo período de 2008. Esse montante também passa a representar 34,2% do total do crédito destinado no mercado para as pessoas físicas.

As taxas de juros em junho de 2009 seguem em tendência de queda. Nos primeiros seis meses do ano, a taxa média de juros praticada pelas associadas à Anef chegou ao patamar de 1,49% ao mês, enquanto no mesmo período do ano passado, a média mensal ficou em 1,65%.

O plano máximo de financiamento ofertado pelo sistema financeiro neste primeiro semestre apresentou pequena elevação em comparação ao mesmo período do ano passado, saltando de 72 meses para 80 meses. Em relação aos planos médios, estão em 41 meses, igualando-se ao patamar do primeiro semestre de 2008. Já a inadimplência acima de 90 dias encerrou o período com índice de 5,5% na carteira de CDC.

“Neste primeiro semestre de 2009, o setor apresentou uma boa evolução, com o quadro de queda das taxas de juros e sensível alongamento dos planos de financiamento, porém com estabilidade nos planos médios. Esses fatos apontam para um sinal positivo de reação do segmento em relação aos impactos da crise internacional, mostrando que a confiança do consumidor vem sendo retomada e o mesmo está encontrando condições favoráveis para financiamento de veículo.

Mesmo assim, o cenário ainda não permite projeções mais precisas, porém, é possível que o saldo das carteiras de Leasing e CDC continue ascendente, podendo alcançar, até o final do segundo semestre crescimento entre 10% e 15% sobre o acumulado de 2008”, avalia Luiz Montenegro, presidente da Anef.

Escoamento das vendas
Nos primeiros seis meses de 2009, 58% das vendas de automóveis e comerciais leves foram a prazo. Desse total, 27% ocorreram por meio de leasing, 26% foram por CDC e 5% por consórcio. Em relação às vendas de veículos comerciais (caminhões e ônibus), 54% foram por Finame, 22% por Leasing, inclusive Finame Leasing, 12% por CDC e 2% por meio de Consórcio.

No setor de motocicletas, 42% das vendas ocorreram por meio de CDC, 32% por Consórcio e 3% por meio de Leasing.


 

Tópicos:



Comentários