Prensa de 5 mil toneladas já opera na Villares Metals

Investimento vai possibilitar a oferta de blocos, barras e peças forjadas com dimensões que ainda não eram fabricadas no Brasil

Foto: Villares Metals

Um dos mais importantes investimentos da Villares Metals em 2008 na área de Forjados acaba de entrar em operação. Trata-se da prensa de 5.000 toneladas (P5000) que vai garantir o aumento da competitividade, do volume de produção e do portfólio de produtos da empresa.

A nova prensa foi projetada pela WPE (Wepuko Pahnke Engineering) e substituiu com inúmeras vantagens a prensa utilizada anteriormente, de 3.000 toneladas. A velocidade, versatilidade e precisão colocam este equipamento, assistido por dois manipuladores Glama com 40 toneladas de capacidade cada um, como um dos melhores do mundo em sua categoria.



O projeto contemplou, ainda, a finalização da modernização da prensa de 2.000 toneladas (P2000), agora assistida por dois manipuladores que, como na P5000, trabalham integrados à prensa em modo automático integral, garantindo processos mais homogêneos.

Também os setores de Tratamento Térmico e Usinagem foram adequados às novas capacidades da Forjaria. Como destaques, o novo torno Romi com 50 toneladas de capacidade para diâmetros de até 2.000mm, e uma nova Trepanadora, com capacidade para usinar barras com até 1.800 mm de diâmetro externo e 500 mm de diâmetro interno e comprimentos de até 15m, equipamentos que favorecem a fabricação de peças para os setores de energia, sucroalcooleiro, naval e de petróleo, entre outros.

Completando o projeto, a Aciaria também foi readequada, com uma nova e moderna área de vazamento, estando agora apta a produzir lingotes com até 35 toneladas.

Todos esses investimentos elevaram a capacidade de forjamento da Villares Metals de 70.000 toneladas para 85.000 toneladas de lingotes por ano, permitindo oferecer ao mercado blocos, barras e peças forjadas com dimensões que até então não eram fabricadas no Brasil. Um bom exemplo é o segmento de Açúcar & Álcool, que poderá ser atendido em suas exigências quanto ao aumento do peso dos eixos para aumentar a produtividade das moendas.

Vale também mencionar os novos horizontes comerciais que essas peças grandes  abrem para a Villares Metals no segmento de Geração de Energia, tanto no mercado externo como no mercado interno.  Com os novos equipamentos, a Empresa passa a oferecer produtos desenhados especificamente para os sub-segmentos de Energia Eólica, de Turbinas a Vapor, de Motores e Geradores, e também de Turbinas e Geradores de Pequenas Centrais Hidrelétricas, especialmente para atender às novas exigências relativas ao aumento da capacidade com relação ao peso dos eixos.

A preocupação com o meio ambiente também marcou o desenvolvimento de todos esses projetos.  Investimentos complementares, como  a instalação de queimadores regenerativos nos fornos de aquecimento, reduziram o consumo de gás natural e permitiram atingir índices de emissão de NOx (emissões que contribuem para o efeito estufa) a níveis inferiores aos das mais severas exigências mundiais, colocando a Villares Metals no posto de pioneira na introdução destes sistemas em forjarias no Brasil.

A grande expectativa com relação a este novo equipamento é a ampliação da presença da empresa não só junto aos mercados e clientes atuais, mas também no exterior. Este investimento, assim que forem encerrados alguns dos projetos complementares que ainda estão em andamento, como a célula de acabamento de peças forjadas e a máquina de estabilidade térmica, resultará em aumento da capacidade de deformação em mais de 65% e em aumento do peso e dimensões por peça a ser produzida, gerando produtos com preços mais competitivos, além de maior versatilidade na fabricação de novos produtos. Além disso, num cenário futuro de maior demanda, esta máquina com maior capacidade de produção possibilitará à empresa atender a um maior volume de clientes e mercados.

Saiba mais sobre a Villares Metals aqui.
Tópicos:



Comentários