Software SolidWorks revoluciona projetos de turbinas de energia eólica


Continua depois da publicidade



A nova geração de turbinas reduz custos e transforma brisas suaves em fonte de eletricidade; dispositivos desenvolvidos no CAD 3D podem ser instalados no telhado de residências ou elevados a centenas de metros do solo.


Os inúmeros recursos dos softwares da Dassault Systèmes SolidWorks Corp. contribuem no desenvolvimento de projetos de turbinas eólicas. A energia gerada nesse processo não agride o meio ambiente, é inesgotável e barata. A nova geração dessas turbinas está expandindo o alcance da energia para qualquer residência ou empresa que busca uma fonte de eletricidade alternativa e compatível ambientalmente. “A energia eólica está entrando em um período de crescimento e inovação. Nós acreditamos em encorajar o desenvolvimento da independência energética e da diminuição da dependência dos combustíveis poluentes”, diz Oscar Siqueira, country manager da SolidWorks no Brasil.

Com a utilização do SolidWorks CAD 3D, as norte-americanas MicroWind Technologies LLC. e Magenn Power Inc desenvolveram projetos inovadores no que diz respeito a uma nova geração de energia eólica rentável. A filial da MicroWind de Burlington, Massachusetts, está projetando uma turbina de baixo custo que pode ser instalada em telhados de qualquer edifício, e que pode gerar eletricidade a partir de ventos tão leves como os de 16 km/h. Já o projeto da Magenn, sediada em Ontário, Canadá, busca os ventos no céu, a centenas de metros de altura.

Simplicidade é o segredo do sucesso
Colocadas em telhados de casas ou flutuando a centenas de metros acima deles, a nova geração de turbinas promete estreitar o fornecimento de energia sustentável, esteja o usuário num remoto vilarejo ou em parques industriais.

O empresário Michael Easton, engenheiro e proprietário da MicroWind Technologies, desenvolveu a turbina eólica de “escala residencial” no software SolidWorks® 3D CAD. A princípio, tratava-se de um projeto de pesquisa. Diante do enorme potencial, a empresa passou a produzi-la comercialmente.

Em 2008, a MicroWind ganhou o primeiro lugar na competição Hellenic Business Network, o segundo lugar na competição Tufts 50K e recebeu um financiamento da Fundação Compton, levantando o capital suficiente para iniciar o empreendimento.

A turbina apresenta uma configuração de eixo vertical, perpendicular ao solo, ao invés de posicionada em paralelo. Esta orientação possibilita que se gere eletricidade a partir de ventos lentos.

O projeto prima pela simplicidade aliada a uma alta performance. O dispositivo, que pode ser instalado por duas pessoas, reduz a chance de avaria e faz com que os custos de manutenção e reposição sejam baixos. “Quanto mais simples for a fabricação, menor a probabilidade de falhas”, explica Easton. “Usamos o SolidWorks para projetar um equipamento construído de modo simples e esteticamente atraente, e que pode ser instalado numa área residencial ou empresarial.” A turbina da MicroWind produz cerca de 50 a 75 por cento da eletricidade que uma área residencial consome em um ano.

A Windsave, fabricante escocesa de turbinas e usuária do SolidWorks, está projetando uma turbina similar, que proprietários podem parafusar sobre suas casas.

Turbina inflada por gás hélio flutua acima do solo
A Magenn foi desenvolveu outro método que elimina o problema de ventos instáveis. Em vez de esperar que a corrente de ar chegue até ela, a turbina MARS da Magenn (Magenn Air Rotor System) vai até o vento.

O dispositivo, de 50 x 120 pés, é inflado por hélio, gás mais leve que o ar. Dessa forma, o MARS flutua a centenas de metros acima do solo para capturar correntes de alta velocidade e presentes praticamente em todos os lugares. Pode gerar até 100 kW por hora, e alimenta uma corrente até uma grade ou matriz de bateria, onde a produção fica armazenada.

“Turbinas tradicionais fixas são usadas em 15% do mundo. Nós somos a solução para os outros 85%”, disse Mac Brown, chefe de operações da Magenn. “A SolidWorks nos ajuda a fazer experimentos com configurações diferentes e comparar a energia gerada”, revela.

Além das empresas de energia eólica emergentes, o SolidWorks tem presença junto às companhias mais tradicionais. A Darwind, fabricante de turbinas offshore holandesa, está utilizando o SolidWorks em projetos com uma configuração magnética patenteada que reduz custos de fabricação e manutenção. A filial britânica da Ramboll Oil & Gas utilizou a SolidWorks para desenvolver as fundações que sustentam metade da capacidade eólica do mundo offshore.



Comentários