Fundação Iochpe amplia programa de bolsas de estudo


O Formare, projeto de educação profissional para jovens de baixa renda, idealizado e coordenado pela Fundação Iochpe, abre oportunidade para novos parceiros (empresas ou pessoas físicas) que estejam dispostos a subsidiar um curso superior aos estudantes já capacitados pelo Formare. A iniciativa visa à ampliação do Programa Bolsa Formare para Estudos Universitários, que concede anualmente bolsas de estudos em cursos do ensino superior

“Além de investir na extensão de um projeto social, quem patrocinar esse programa poderá ter o nome da empresa, ou de uma pessoa, associado à Bolsa”, diz Beth Callia, coordenadora geral do Formare. Um dos diferenciais dessa iniciativa é que o programa pode ser apoiado por pessoas físicas, além de empresas. “Uma das grandes vantagens que podem ser observadas é o reconhecimento por parte da comunidade, pois a imagem da empresa ou pessoa passa a ser associada como um agente de transformação social”, afirma.

A bolsa será oferecida ao aluno durante o período regular do curso (4 ou 5 anos), inclusive nos meses de férias, desde que o aluno não tranque a matrícula ou abandone o curso. Com a iniciativa, o Formare espera ampliar os parceiros e dar espaço para a participação de todos interessados.  Mais informações sobre o programa podem ser obtidas no endereço: www.formare.org.br/programadebolsas

Sobre o Formare
O Programa Formare foi criado em 1988 dentro das empresas Iochpe-Maxion S.A. em Canoas (RS) e São Bernardo do Campo (SP) como uma oportunidade de formação profissional a jovens de baixa renda na própria empresa. Hoje é um modelo vitorioso de educação profissional dentro de empresas; transformou-se na primeira franquia social do Brasil e multiplicou-se para diversos ambientes empresariais.

O objetivo do programa é desenvolver as potencialidades de jovens de famílias de baixa renda, moradores das redondezas das empresas, a fim de integrá-los à sociedade como profissionais e cidadãos. Contudo, o projeto não se limita ao curso. Quando formados, os ex-alunos recebem apoio na obtenção do primeiro emprego. Aproximadamente 6,5 mil jovens já foram capacitados pelo Formare e cerca de 80% estão empregados.

Outro fator de destaque é a capacitação e a motivação que envolve os colaboradores da empresa quando aderem ao Projeto como educadores voluntários. Pesquisas indicam, por exemplo, que aprendemos 70% do que discutimos com outros; 80% do que experimentamos; e 95% do que ensinamos. Ao tornar-se educador do Formare, o colaborador da empresa passa por todas essas fases. Segundo informações da Rede de empresas parceiras, foi possível comprovar que o desempenho do voluntário dentro das suas atividades e, principalmente, em seu convívio com outros colaboradores também melhora significativamente.

A Rede Formare (empresas que possuem Escolas Formare) é composta por Escolas de Educação Profissional que oferecem instalações, benefícios e tempo de seus funcionários para atuarem como educadores-voluntários dos jovens. 

Os cursos, com duração de no mínimo 800 horas/aula, são elaborados pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e monitorados pela equipe pedagógica do Formare, de acordo com as características de cada empresa e a realidade do mercado de trabalho local. A orientação pedagógica baseia-se nas diretrizes do Ministério da Educação, que prevê o desenvolvimento de competências e habilidades obtidas por meio da associação de teoria e prática. Os cursos são certificados pela UTFPR, instituição federal de ensino vinculada ao MEC, que mantém convênio com a Fundação Iochpe desde 1995.

Mais informações no endereço: www.formare.org.br
Tópicos:
  



Comentários