Crescimento estimula indústrias a participarem da Mecânica Nordeste


A expansão econômica dos estados do Nordeste vem atraindo a atenção da indústria metal-mecânica que está interessada em ampliar os negócios na região. A razão para o crescimento, em meio à atual crise econômica internacional, são os grandes projetos estruturadores em andamento, principalmente três estaleiros e uma refinaria de petróleo.

O interesse das empresas pelo mercado nordestino é verificado pelo número de empresas que vão participar da Feira Mecânica Nordeste (15ª Fimmepe 2009), que será realizada de 27 a 30 de outubro, no Centro de Convenções de Pernambuco. Dos cerca de 300 expositores esperados, cerca de 50% já garantiram espaço no evento. Entre eles, Deb’Maq, Romi, SEW Eurodrive e White Martins.

“O potencial de crescimento do Nordeste, a médio e curto prazo, é enorme”, afirma o representante da Deb’Maq para a região, Vinícius Santana. O otimismo em relação ao mercado nordestino é compartilhado por Ronaldo Santana, executivo de vendas da SEW Eurodrive. “A região está em crescimento e nós vamos acompanhar essa evolução”, afirma.

Segundo Sebastião Pontes, presidente do Sindicato das Indústrias Eletro-metal-mecânicas de Pernambuco (Simmepe), entidade promotora da feira, a Fimmepe tem sido um termômetro da economia regional e, no momento, reflete o aquecimento do mercado. De acordo com Pontes, o processo de crescimento do Nordeste tem estimulado as indústrias da região a investir cada vez mais na modernização e na ampliação de seus parques fabris como forma de se capacitar a participar desse processo desenvolvimentista.

Como carros chefes da expansão figuram o Estaleiro Atlântico Sul e a Refinaria de Petróleo Abreu e Lima, que estão com as obras em ritmo acelerado no Complexo Industrial e Portuário de Suape. Com investimentos superiores a US$ 9,3 bilhões, esses empreendimentos são projetos estruturadores de grande porte que atraem não só empresas satélites fornecedoras de insumos e serviços, mas também colocam Pernambuco em papel de destaque no mercado.

Além disso, este ano começa a ser implantado, em Maragogipe, no Recôncavo Baiano, o Estaleiro da Bahia S/A, com investimentos de US$ 400 milhões. Por sua vez, a Indústria Naval do Ceará (Inace) revelou o plano de investimento de US$ 500 milhões em uma nova unidade na Barra do Ceará e ampliação da atual estrutura industrial no Poço da Draga.
Tópicos:
  



Comentários