Galvanizadores mudam para linhas Galvalume


A Spooner Industries do Reino Unido espera que mais linhas de galvanização venham a ser convertidas em linhas Galvalume a partir de 2010 em diante, uma vez que a situação econômica global melhore. Quando os preços de zinco subiram nos últimos anos, as usinas mudaram para o sistema Galvalume que permite fusão de zinco e alumínio 50:50 e reduz os custos de produção, disse o gerente de produto da companhia Michael Hill.

Spooner da West Yorkshire se especializa em tecnologia de transmissão forçada, e ajudou a transformar sete linhas de galvanização no processo Galvalume na Índia nos últimos três anos. "Nós esperamos mais dois a três projetos semelhantes na Índia, dependendo de quando a economia se recuperar". Hill fez a colocação de seu ponto de vista nas linhas secundárias da Conferência Anual do South East Asia Iron and Steel Institute em Kuala Lumpur.

Spooner também trabalhou com o especialista em sistema de secagem Solamonics-Bekaert para desenvolver um forno de ar combinado e infra-vermelho próximo para cura de pintura a alta velocidade. "Clientes com linhas múltiplas ganham a habilidade para produzir os mesmos produtos com as mesmas pinturas em linhas diferentes usando a nova tecnologia", disse ele.

No Brasil, a empresa Tapmatic já fabrica e vende o produto com o nome comercial de Galvanização Aluminizada a Frio GALVALUM. Trata-se de galvanização aluminizada instantânea a frio que tem a cor de galvanização convencional, porém é aplicada como se fosse tinta. Segundo o fabricante o produto oferece proteção anticorrosiva, resiste a 1.200 horas na câmara de vapor salino (salt spray) e há tempos já é utilizada e aprovada pelas maiores indústrias do todo Brasil.

Maiores informações sobre o produto da Tapmatic aqui.
Tópicos:



Comentários