O mercado taiwanês de máquinas-ferramenta

Foto: Divulgação

Em 2008, Taiwan foi o quinto produtor de máquinas-ferramenta, atrás do Japão, Alemanhã, China e Itália. Tirando a China, os demais são produtores tradicionais de maquinário para o trabalho com metal. Isso é um reflexo importante do crescimento desse país, que agora está acima de reconhecidos produtores de máquinas-ferramenta, como Estados Unidos, Suiça, Espanha e França.

Taiwan se tornou um dos fabricantes de máquinas-ferramenta mais importantes do mundo. Se voltarmos no tempo, há dez anos este país era mais um entre os produtores de máquinas para indústria metal-mecânica. No ano passado, Taiwan foi o quarto exportador de máquinas-ferramenta do mundo, com um faturamento de $ 3.880 milhões de dólares segundo o relatório anual da Metalworking Insider’s Report.

A China produz mais máquinas-ferramenta, no entanto, Taiwan exporta mais por ter criado uma rede internacional. Hoje é comum ver pavilhões taiwaneses em feiras e exposições mais reconhecidas do setor. Na Feimafe 2009, por exemplo, as máquinas taiwanesas tiveram estandes organizados pela TMBA (Associação Taiwanesa de Fabricantes de Máquinas-Ferramentas e Acessórios).

Na Timtos (Exposição Taiwanesa de Máquinas-Ferramenta), que ocorreu em fevereiro em Taipei (norte de Taiwan), durante a coletiva de imprensa o presidente da Tami, Fred Huang, falou da crise econômica. “2008 foi um ano de mudanças dramáticas para a indústria taiwanesa de máquinas-ferramentas. O primeiro semestre do ano teve um crescimento constante, mas nos últimos quatro meses se evidenciou uma intensa queda de exportações”.

Huang, entretanto, levantou questões positivas. “2008 teve um crescimento importante em vários de nossos mercados exportadores, incluindo União Européia, Brasil, Índia e Rússia”, disse. Huang ressaltou que foram produzidos U$ 5.000 milhões de dólares em máquinas-ferramenta no ano passado, o que significa um aumento de 6,6% em relação a 2007. Para o presidente da Tami, é significativo que 70% das exportações sejam de máquinas de controle numérico.

No entanto, talvez o mais impressionante de uma exposição como Timtos é a grande quantidade de visitantes ocidentais que procuram máquinas taiwanesas. É comum ver europeus, norte-americanos, mexicanos, brasileiros e argentinos.

Para o diretor de conteúdo do site argentino MetalMecánica, Eduardo Tovar, Taiwan sabe focar tecnologia e economia para vender suas máquinas e equipamentos no mercado mundial. “Trata-se de um povo aberto e hospitaleiro, que tem claramente um caminho a percorrer entre os grandes da produção industrial”.
Tópicos:
  



Comentários