Indústrias italianas apostam no Brasil

40 empresas italianas de máquinas-ferramenta, sistemas de automação e robôs apresentarão seus lançamentos na FEIMAFE

Foto: Divulgação

Numa iniciativa do ICE-Instituto Italiano para o Comércio Exterior e da UCIMU – Associação dos Fabricantes Italianos de Máquinas-Ferramenta, Robôs, Sistemas de Automação e Produtos Auxiliares, 40 empresas participam do Pavilhão Machines Italia na FEIMAFE 2009, maior evento sul-americano dedicado ao setor de máquinas-ferramenta e sistemas de manufatura, que ocorrerá de 18 a 23 de maio, em São Paulo. Esta participação maciça (77,5% a mais que 2007) tem por objetivo reforçar a capacidade e interesse da indústria italiana de fomentar negócios entre fabricantes e estimular a troca de inovações tecnológicas.

Comércio Brasil-Itália
Em 2007, as importações brasileiras de máquinas-ferramenta robôs e sistemas de automação somaram 478,9 milhões de euros, sendo 12,7% provenientes da Italia, que ocupou a 3ª posição no ranking dos maiores fornecedores. Em 2008, a Itália manteve sua quota sobre as importações totais, que totalizaram 850,1 milhões de euros (+77,5%), mas desceu uma posição na graduação geral. Dados referentes ao primeiro trimestre de 2009 apontam para um incremento de 35,1% das importações brasileiras do setor, colocando a Itália novamente na terceira posição entre os principais parceiros do Brasil, com uma quota de 12,1%.

Os principais concorrentes dos italianos no mercado brasileiro, nesse segmento, são Japão e Alemanha, que juntos somam 41,5% das importações brasileiras dessa área. Analisadas as importações por categoria de produto, as máquinas para corte e conformação representaram cerca de 28,5% do total importado pelo Brasil em 2007 e em 2008. Já no primeiro trimestre de 2009, essa participação sobe para 43,5%. Trata-se de um segmento no qual os produtos “Made in Italy” ocuparam em 2007 o segundo lugar entre os maiores fornecedores estrangeiros, com participação de 18,1%, passando à primeira posição em 2008, com 21,75% e retornando à segunda colocação em 2009, com uma quota de 14%. Novamente, os principais concorrentes dos italianos são os japoneses e alemães.

Mercado italiano

A indústria italiana de máquinas-ferramenta, robôs e automação é caracterizada por elementos distintos que a tornam completamente original em relação aos concorrentes. A reduzida dimensão de suas empresas e a elevada especialização das funções de seu sistema produtivo são peculiaridades fundamentais na estrutura de seu parque produtivo. O uso da tradição de know-how para desenvolver soluções sob medida, de acordo com as necessidades dos clientes, é o que faz o diferencial. A grande maioria de suas 400 empresas é de pequeno e médio porte e possui não mais do que 70 empregados.

Em termos de avanços tecnológicos, 70% da produção italiana é automatizada e, destes, 20% faz parte de sistemas integrados (células e sistemas compostos por mais de três máquinas).

Segundo dados da UCIMU, as exportações italianas cresceram durante todo o ano de 2008, mas o ritmo dos dois primeiros trimestres (+9,6% e +16,4%) foi maior que nos dois últimos (+2,8% e +4,4%). As exportações somaram 3,2 bilhões de euros, um crescimento de 8% em relação a 2007. As importações em 2008 totalizaram 1,5 bilhões de euros, um aumento de 4,8% em relação ao ano anterior.

Indústria mundial de máquinas-ferramenta
A indústria italiana de máquinas-ferramenta mantém o quarto lugar entre os principais produtores do setor (5,3 bilhões de euros, correspondentes a 10,6% do total) e a terceira posição entre os exportadores (com pouco menos de 3 bilhões, ou 9,9% das exportações mundiais do setor) depois da China, Alemanha, Estados Unidos.

O Brasil subiu para o décimo lugar no ranking mundial em virtude de uma produção que alcançou 845 milhões de euros (+10,8%); o consumo aumentou 17,3%, passando a 130 milhões (oitavo valor mundial).

Para Giovanni Sacchi, diretor para o Brasil do Instituto Italiano para o Comércio Exterior, os fabricantes de máquinas-ferramenta, em razão da dinamização do segmento, investem em novas tecnologias de manufatura, com o objetivo de melhoria de produtividade e redução de custo e as parcerias entre os países facilitam a troca de informações e futuras joint ventures.

Feira Emo Milano 2009 – de 05 a 10 outubro em Milão

O presidente do comitê organizador da EMO Milano 2009 e vice-presidente da Unione Costruttori Italiani Macchine Utensili – UCIMU, Pier Luigi Streparava, estará em São Paulo, por ocasião da FEIMAFE, para a apresentação da FEIRA EMO 2009, que acontece em Milão, de 5 a 10 de outubro, onde, até o momento, 1.400 empresas estão inscritas, com 65% vindas de 31 países, incluindo o Brasil.

Promovida pelo CECIMO, Comité Europeu para a Cooperação entre Máquinas-Ferramenta para indústrias, a EMO é a maior feira do setor, realizada alternadamente em Hannover e Milão. A UCIMU-SISTEMI PER PRODURRE auxilia na organização da edição italiana.

Neste ano, a Fieramilano abre as portas de seus oitos pavilhões projetados pelo arquiteto Massimiliano Fuksas, os quais quase não apresentam pilares, assegurando acessibilidade e visibilidade extraordinárias para todos os estandes da EMO 2009. Cada pavilhão cobre uma superfície de 37mil metros quadrados.

ICE – Pavilhão Italiano - Machines Italia

Estande N-11

Feimafe 2009 – Feira Internacional Máquinas Ferramenta e Sistemas de Manufatura
Pavilhão do Anhembi – São Paulo
De 18 a 23 de maio de 2009
2ª à 6ª feira - das 10h às 19hrs
Sábado – das 9h às 17h
Tópicos:



Comentários