Utilização do boro em fluidos solúveis

Elemento é alternativa de baixo custo e diminui a necessidade de manutenção das máquinas


O boro tem bastante utilização na indústria de lubrificantes em função de seu baixo custo e alta eficiência para inibir a proliferação de microorganismos nos fluidos solúveis.


O boro em seu estado natural


Áreas produtivas da indústria automotiva, autopeças, mecânica e metalúrgica, utilizam em grande parte tecnologias avançadas de fluidos aquosos para usinagem e limpeza de peças em geral. O problema é que os locais onde estes fluidos atuam (centrais ou tanques individuais) sofrem frequentes contaminações, exigindo constante manutenção com aditivos que tem uso controlado.

Dentro da escala industrial, torna-se necessário diminuir os custos dos fluidos para aumentar a competitividade. O desenvolvimento da fórmula de novos fluidos é muito custosa e esse é um dos motivos que faz o produto ter alto valor agregado. Nesse ponto o boro tem vantagem porque é uma alternativa com custo mais baixo e o produto atua como biocida, tornando menor a necessidade de manutenção das máquinas.

O boro faz parte da fórmula dos fluidos de corte sob a forma de boratos ou ácidos como o ácido bórico. Ao contrário dos biocidas que “matam” os microorganismos(*), o boro é classificado com um material bacteriostático, porque inibe a reprodução dos microorganismos mantendo a contaminação no fluido solúvel sob controle.

Os grandes problemas na utilização do boro estão no fato dele ser acumulativo e de ser um potencial inibidor da reprodução humana (em definição, ainda em estudo).

A
Castrol a partir de seus centros de pesquisa, desenvolveu produtos solúveis para usinagem, isentos de boro, que são comercializados no Brasil. Por exemplo:

  1. Superedge 6552 BF – Fluido semi-sintético, multi-funcional;
  2. Clearedge 6515 BF – Fluido semi-sintético voltado para usinagem geral de aços e ferro fundido;
  3. Alusol XT BF – Fluido semi-sintético, indicado especialmente para usinagem de alumínio e ligas;
  4. Syntilo 916 – Fluido sintético, para usinagem de Ferro fundido e aços;
  5. Syntilo 9913 – Fluido sintético, para usinagem pesada de alumíno e ligas;
  6. Syntilo 9918 – Fluido sintético, para usinagem de alumínio e ligas aeroespaciais.

(*) Microorganismos – Bactérias, Fungos e Leveduras, que contaminam os fluidos solúveis causando a sua degradação.

Leia mais sobre a Castrol
aqui.
Tópicos:



Comentários