Empresas poupam R$ 500 mil com softwares locais

Foto: Divulgação

Expandindo os horizontes entre o real e o virtual, softwares produzidos na Paraíba estão sendo utilizados por empresas de matrizes paraibanas e garantindo economia de até R$ 500 mil por ano. Segundo informações do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/PB), a competição acirrada entre os principais fornecedores, a evolução dos produtos e as melhorias que eles geram com a eficiência dos resultados, fazem com que os preços não parem de diminuir e empresas consigam lucros cada vez mais altos.

É o que confirma Ricardo Carvalho, gerente de uma loja de eletroeletrônicos, cuja matriz é situada na BR-230, município de Cabedelo, Litoral paraibano, têm filial na Rua João Pessoa, em Campina Grande, bem como em mais cerca de 140 lojas espalhadas por todos os Estados do Nordeste. Segundo ele, “as lojas estão utilizando tecnologia 100% paraibana no processo de contratos de cartões de crédito e em apenas dois anos foi possível economizar cerca de R$ 1 milhão, o equivalente a R$ 500 mil por ano”, destacou.

Para o gerente, a tecnologia mudou a realidade das lojas e dos resultados. “O software que utilizamos em toda a rede do Nordeste é paraibano e com certeza a informatização da empresa contribui para o grande sucesso dela. Há 20 anos tínhamos uma realidade totalmente diferente, muitos papéis e perda de tempo. A tecnologia está trabalhando a nosso favor e não tem como mais viver sem ela. Para se ter uma idéia, antes nós passávamos até dois minutos para deferir a liberação de um cartão de crédito e hoje esse processo não dura mais que dez segundos, o que é um imenso ganho de tempo, na hora de fazer um negócio”, ressaltou.

Os clientes sentem lucros no bolso. “Devido à facilidade no processo de deferimento do cartão de crédito, a empresa deixou de ter determinadas despesas como taxas de administração cobradas pelas administradoras de cartão de crédito, o que resulta em ganhos que conseguimos repassar para os nossos clientes, como a diminuição de taxas de juros”, destacou o gerente.

Outro caminho é o vivenciado por uma gráfica, cuja matriz é situada no Distrito Industrial de João Pessoa, e possui filiais em mais sete Estados das regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste do país. Ela produz o próprio software, de acordo com as necessidades da empresa. Segundo o coordenador de tecnologia da informação (TI) da gráfica, Eduardo Figueiredo Júnior, a iniciativa de produzir o próprio software iniciou em 2000. “Há oito anos que começamos a produzir os nossos próprios softwares.

O mais importante que temos hoje, como resultado de nossa produção, é o de gestão orçamentária, que calcula os orçamentos e encaminha ordens de serviço para dentro da produção”. Conforme ele, a iniciativa gera uma economia de cerca de R$ 360 mil por ano. “Incluindo as nossas economias com pessoal, tempo e possíveis aluguéis de softwares de gestão, que exigiriam pagamentos de concessões de uso, além de gastos com adaptações às necessidades específicas da gráfica, nós economizamos cerca de R$ 30 mil por mês, o equivalente a cerca de R$ 360 mil por ano”, destacou.




Comentários