Índice para medir qualidade de vida e ambiental

Fonte: Ambiente Brasil - 07/04/07

A necessidade de estabelecer um indicador que refletisse o desenvolvimento sustentável em nível global levou a engenheira do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Ana Raquel Martins, a criar  um novo índice, o IDH Ambiental. O novo indicador é tema de estudo apresentado por Martins na Universidade Federal Fluminense no final de 2006 e resulta da combinação entre o IDH - Índice de Desenvolvimento Humano, que mede o grau de desenvolvimento dos países, e o ISA - Índice de Sustentabilidade Ambiental, desenvolvido por pesquisadores norte-americanos e apresentado pela primeira vez em 2002, no Fórum Econômico Mundial.

O índice analisa cinco dimensões dos países: sistemas ambientais, estresses, vulnerabilidade humana, capacidade social e institucional e responsabilidade global. As variáveis encontradas  são objeto de comparação entre os diferentes países pesquisados.

A idéia, segundo a técnica do BNDES, era partir do índice mais trabalhado e reconhecido internacionalmente, que é o IDH, e verificar se esse índice de desenvolvimento humano consegue refletir também a sustentabilidade desse mesmo desenvolvimento. “Por isso, a gente teve essa vontade de acrescentar no IDH uma componente de sustentabilidade ambiental”, externou Martins.

Para isso, foi adotado o ISA, cuja 1primeira versão data de 2004, com uma segunda versão apresentada no ano seguinte. Dessa forma, o IDH Ambiental inclui componentes do IDH de longevidade, renda e educação, acrescentando-se o indicador de sustentabilidade ambiental do ISA. O objetivo era “entender se os países que tivessem alto IDH teriam também esse alto  IDH chamado híbrido, com essa componente de sustentabilidade ambiental”, explicou.

Ana Raquel Martins admitiu que apenas o cruzamento entre o IDH, que media 177 países à época da coleta dos dados, com o ISA, que media cerca de 145 países, resultando numa relação de 139 nações com as duas medições, já fez com que alguns países mudassem de lugar no ranking internacional.

No caso do Brasil, ele pulou da 54ª posição no IDH para a 39% no IDH Ambiental, situando-se na 11ª posição no ISA. Considerando apenas as variáveis ambientais, o Brasil está à frente dos Estados Unidos (44º colocado), Japão (29º) e Alemanha (30º).
Tópicos:



Comentários