Cresce comércio siderúrgico com a AL

O México continua sendo o maior exportador do Brasil

Fonte: Canal de Notícias - 03/04/2007

Foto: Divulgação

O comércio siderúrgico entre o Brasil e seus cinco principais parceiros da América Latina cresceu no ano passado, em comparação com 2005. No entanto, neste ano as companhias brasileiras estão exportando menos e importando mais aço desses países, segundo a Steel Business Briefing calculou a partir de dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

O México continua sendo o maior mercado de exportação para os produtos siderúrgicos brasileiros, com um total de 988.440 t compradas em 2006, 22.9% a mais que as 762.059 em 2005. Em segundo lugar veio a Argentina, com 663.632 t importadas do Brasil, contra 526.003 t no ano anterior. A Colômbia veio em seguida, adquirindo 622.061 t, quase o dobro das 346.585 t em 2005. Chile e Venezuela completam a lista, com 315.162 t e 178.642 t, respectivamente.

A lista dos principais países exportadores ao Brasil é similar. O México foi o primeiro, com 139.464 t vendidas em 2006, um grande aumento – 756% – com relação às 15.707 t em 2005. A Argentina exportou 97.326 t contra 81.652 t. Chile, Colômbia e Venezuela vêm em seguida, nessa ordem, mas com pequenas quantidades vendidas.

Em janeiro e fevereiro deste ano, as exportações brasileiras de aço aos países latino-americanos caíram, com exceção do Chile. Para o México, foram 120.762 t contra 275.776 t no mesmo período de 2006. A Argentina comprou 80.176 t, e no ano passado, 99.202 t. As vendas para Colômbia e Venezuela caíram de 86.563 t para 57.644 t e de 40.585 t para 22.153 t, respectivamente.

Já as importações brasileiras cresceram em 2007, impulsionadas pela forte demanda interna. No entanto, conforme já divulgado pela SBB, a indústria siderúrgica nacional afirma que as exportações voltarão a crescer depois que novas expansões produtivas sejam concluídas no país.
Tópicos:
     



Comentários