Aquecimento global preocupa os mais pobres

Fonte: Ministério da Ciência e Tecnologia - 28/03/07

Quatro em cada cinco brasileiros estão "muito preocupados" com os efeitos da mudança do clima. São os pobres e menos escolarizados a fatia da população mais consciente dos riscos que o planeta está correndo. Esse é o resultado da pesquisa "Aquecimento Global", feita pelo Ibope Opinião, a pedido da agência de publicidade Nova S/B, especializada em comunicação de interesse público.

Se o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva tivesse feito uma enquete antes de lançar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), ficaria surpreso. Muitos eleitores e contribuintes estão dispostos a comprometer a meta de crescimento econômico em troca de um maior respeito pelo meio ambiente. A tomada de posição nesse sentido é clara, embora os países ricos tenham sido identificados como principais culpados pelo problema.

O Ibope entrevistou 1.400 pessoas, entre homens e mulheres, com 16 anos ou mais. No grupo, foram incluídas pessoas de diferentes classes sociais, desde aquelas que ganham um mínimo até as que recebem mais de dez. Levaram em consideração as proporções utilizadas pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) e o Censo de 2000.

É curioso constatar que 63% dos entrevistados estariam dispostos a comprometer metas de crescimento e geração de renda e emprego, caso a política econômica de Lula viesse a afetar o meio ambiente. Os que recebem entre um e dez salários mínimos são os que estão mais preocupados com esses impactos. O crescimento a qualquer preço tem o apoio de 24% dos entrevistados.

- Economicamente, somos considerados um país em desenvolvimento, mas curiosamente nosso grau de consciência sobre o aquecimento global é de Primeiro Mundo - avalia a diretora de Atendimento do Ibope Opinião, Sílvia Cervellini.

Ela admite ter ficado surpresa com esse resultado. Apenas 10% confessaram total ignorância sobre o tema. Até mesmo a fatia da população de baixa escolaridade (83%) está familiarizada com o assunto.

Mais de metade dos ouvidos atribui culpa a países ricos Mais da metade dos entrevistados (54%) acredita que os países ricos e suas indústrias são os responsáveis pela mudança do clima, e 32% culpam todas as nações. Apenas 11% apontam os países pobres por considerarem que eles contribuem para aumentar o aquecimento global, com suas políticas de desmatamento.

A superexposição do tema é apontada como um dos responsáveis pelo grau de consciência detectado na pesquisa.

Nos últimos anos, têm sido freqüentes as notícias sobre os efeitos da mudança do clima: de idosos morrendo de calor na Europa até seca na Amazônia e enchentes no Sudeste.

O Ibope quis saber também sobre a disposição para mudar hábitos relacionados ao meio ambiente. Entre os entrevistados que têm carro (43%), apenas 11% aceitam trocar o veículo a gasolina por um a álcool.
Tópicos:



Comentários