Carro movido células de hidrogênio ainda está longe

Foto: Carsale

O presidente da Toyota Motor, Katsuaki Watanabe, afirmou nesta quinta-feira (13) que as montadoras têm feito progressos no desenvolvimento de células a combustível - que usam hidrogênio para gerar energia -, mas que ainda vai demorar alguns anos até que carros com essa tecnologia sejam viáveis comercialmente.

Empresas trabalham há algum tempo na criação de um automóvel que rode com células a combustível, que gerariam energia por meio de uma reação química entre o hidrogênio e o oxigênio, gerando água como resíduo.

"Quando nós começamos a pesquisar e a desenvolver carros com células a combustível, algumas pessoas fizeram previsões de que esses automóveis poderiam ser comercializados em 2010. Mas isso é difícil", disse ele.

"Os avanços na tecnologia são significativos. O único problema é o custo", afirmou o executivo.

No ano passado, a Toyota anunciou ter feito testes bem-sucedidos de carros com essa tecnologia. O protótipo, chamado FCHV, percorreu 560 km durante um único percurso e terminou o trajeto com 30% do hidrogênio ainda no tanque.

Além do alto custo do carro, Watanabe afirmou que os motoristas ainda precisariam de uma estrutura de postos com hidrogênio disponível para abastecer os veículos. "Ainda há um longo caminho até que esses carros entrem em larga produção, considerando problemas relacionados à armazenagem e de onde retirar hidrogênio", disse ele.

O executivo disse ainda que estão progredindo as experiências da Toyota com a Panasonic para fazer carros movidos a baterias de íons lítio, similares às que são utilizados em laptops. A idéia é que os veículos sejam "recarregados" em estações.



Comentários