A Hübner verticaliza para dobrar faturamento até 2010

O crescimento, tanto do mercado de implementos rodoviários como o de autopeças para tratores e colheitadeiras, fez o grupo paranaense Hübner rever os planos de expansão e traçar metas mais ambiciosas. Agora, a pretensão é dobrar de tamanho e de faturamento até 2010.

"Vamos construir uma indústria metalúrgica em Ponta Grossa (PR), e que contará com aciaria, lingotamento e laminação e que vai operar até o final de 2009. Até agora tínhamos nos nossos planos a construção de uma siderúrgica para produzir ferro gusa no local, com investimentos de R$ 35 milhões. No entanto, precisamos urgente de matéria-prima para nossas duas empresas de componentes - a Rodolínea e a de usinagem Alto Línea, ambas de Curitiba - para que elas possam duplicar sua produção, alteramos o projeto para uma nova metalúrgica", diz o empresário Nelson Roberto Hübner, diretor-presidente do grupo industrial.

Este é novo salto na história da empresa, fundada no início dos anos 80 a partir de um único torno por Nelson e um irmão, e que até os 13 anos de idade trabalhavam em lavouras em Santa Catarina. Em 1989, a empresa fechou um contrato para usinagem de cabeçotes de motor para a Volvo do Brasil, mas como alternativa à crise dos anos Collor, teve que partir para um mercado alternativo: a de reposição de peças. Daí nasceu a Auto Linea, produzindo inicialmente blocos de motor da linha Mercedes-Benz.

Atualmente, a Auto Linea, carro-chefe do grupo, está instalada na cidade de Araucária, na região metropolitana de Curitiba. Exporta para mais de 30 países e comercializa blocos, cabeçotes, roscas sem fim, setores de direção e ajustadores automáticos de freio.

A metalúrgica será a terceira unidade industrial na cidade do centro-sul paranaense, onde possui a Fundição Ímpar e a Metalúrgica Hübner. A nova fábrica irá atender principalmente a demanda de outra empresa do grupo, a Rodo Linea, de Curitiba, que fabrica implementos rodoviários e canavieiros. A nova indústria será responsável pela montagem de conjuntos e subconjuntos da Rodo Linea, que assim poderá dobrar sua produção.

O empresário também anunciou investimento de R$ 4 milhões na ampliação da Bricarbras, empresa, instalada em Jaguariaíva, norte do Paraná, responsável pela fabricação de briquetes de carvão. A Bricarbras conquistou o Prêmio Von Martius, em 2006, por ter criado uma nova tecnologia na fabricação dos briquetes de carvão, que não polui a atmosfera.

Em 2007, o grupo Hübner faturou R$ 242 milhões em suas sete unidades nos estados do Paraná, de Santa Catarina e Minas Gerais, divididas entre siderúrgicas e fundições, fábricas de autopeças e de implementos rodoviários, contra R$ 180 milhões em 2006. Nelson Roberto Hübner esperava atingir este faturamento quando a siderúrgica de gusa estivesse pronta, mas o crescimento da Rodolínea, da empresa de usinagem e da Bricarbras antecipou a meta ainda sem a nova empresa.

"Agora elevamos nosso plano de investimento - com recursos próprios e financiamentos - para R$ 100 milhões e esperamos conseguir um faturamento de R$ 600 milhões em 2010".

Segundo ele, com a metalúrgica produzindo e fornecendo para o grupo, a Rodolínea poderá alcançar uma produção de 520 equipamentos mensais dentro de três anos - em 2007 foram 110/mês e em 2008 deve alcançar 230/mês. Já a produção de briquetes vai passar das atuais 2.500 toneladas mensais para 8 mil toneladas mensais.

"Estamos desenvolvendo em laboratório um dispositivo para injetar no briquete um produto que irá aumentar seu poder calorífero e ampliar muito o nosso mercado", conta o empresário. "Até o final deste ano esperamos já chegar a uma produção de 4.500 toneladas mensais", diz.

As duas fundições de ferro - a Fundição Impar e a Fundição Hübner - localizadas na cidade de Ponta Grossa, a 100 quilômetros da capital paranaense têm capacidade de produção de 2,5 mil toneladas mensais e fornecem juntas peças fundidas tanto para a planta de Araucária quanto para diversas outras empresas do setor automobilístico, principalmente da linha pesada. Mas empresa opera ainda uma fundição de metais não-ferrosos, a Fundição Gammetal, com sede em Blumenau, Santa Catarina.

A concentração dos negócios em peças de reposição e a operação verticalizada da empresa levou à aquisição, em 2003, da Siderlinea Siderurgia, localizada na cidade mineira de São Gonçalo do Pará. Com esta siderúrgica, que tem capacidade para produzir 4,4 mil toneladas mensais, a Hübner supre sua necessidade de ferro gusa, matéria-prima para a produção de ferro fundido.
Tópicos:
  



Comentários