Cientec-RS mostra pesquisas com biodiesel

Fonte: Abiodiesel - 29/10/07

No estande da Fundação de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul (Cientec), localizado junto ao salão de energia, algumas das pesquisas realizadas dentro do projeto estão disponíveis.

Os visitantes podem obter uma antecipação de como irão ocorrer novos estudos comparativos com as diversas composições possíveis de biodiesel, como informa a coordenadora industrial do projeto, a engenheira química da Cientec, Iza Northfleet. Segundo ela, técnicos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e do Instituto de Química e Geociências da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) também integram o grupo de análise.

O processo de obtenção do biocombustível é denominado transesterificação e inclui o uso de um álcool para diminuir a viscosidade do óleo e um catalisador, o qual promove a aceleração da velocidade do processo reativo. Uma das linhas da pesquisa busca produzir biodiesel pela rota do etanol (álcool de origem vegetal) e comparar com a metílica (composição alcoólica derivada de petróleo), essa última atualmente empregada na indústria de escala.

Iza lembra que o etanol já é um combustível consagrado no Brasil e funciona bem em motores ciclo Otto (ignição por faísca) em substituição parcial ou total à gasolina, mas ainda precisa ser aperfeiçoado na composição dos motores a diesel acionados por compressão. Estão programadas avaliações de desempenho de motores com as duas misturas de biodiesel adicionados ao diesel derivado de petróleo e uma consolidação de resultados.

A Cientec tem no horizonte uma série de estudos para aperfeiçoar o biodiesel e promover os ensaios capazes de apontar sua qualidade e desvendar alternativas de matérias-primas. Por conta dessas metas, a idéia é conseguir ainda processar um catalisador heterogêneo com formulação mais complexa do que a soda cáustica (catalisador homogêneo), do qual resultaria um biodiesel mais limpo e livre de operações de lavagem.

A glicerina, um subproduto proveniente da transesterificação, também sairia mais livre de impurezas da reação, já que também tem valor de mercado. São metas do projeto: caracterizar insumos e produtos do processo de produção de biodiesel e estabelecer protocolos analíticos de controle de qualidade do produto.

Os outros resultados esperados ficam por conta da obtenção da torta de mamona adequada (desintoxicada) para utilização em ração animal e tortas de mamona e girassol para uso como biofertilizante. No momento, a Cientec finaliza uma série de estudos para ensaios de qualidade do biodiesel fabricado atualmente. O objetivo é o de estabelecer protocolos analíticos de controle de qualidade do produto a exemplo do que a Fundação já realiza com os combustíveis convencionais.



Comentários