8 em cada 10 europeus querem adotar mobilidade elétrica, diz estudo

Preocupados com as questões ambientais, os europeus estão pedindo mais veículos híbridos e elétricos nos próximos dez anos.

O Grupo Renault, junto com a Ipsos, fez um retrato da mobilidade elétrica após o pico da crise de Covid-19 como parte do evento Renault eWays dedicado à mobilidade elétrica. O “Barômetro de mobilidade elétrica Renault eWays” detalha o aumento da curiosidade e a adoção de veículos elétricos pelos europeus. Em todos os países pesquisados ​​- França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido -, a tendência é unânime a favor da aceleração da transição para a mobilidade elétrica.

A eletrificação dos veículos promete remodelar o cenário da mobilidade e a transformação está finalmente se acelerando. Apesar da crise econômica da Covid-19, que afeta o mercado automotivo global, os registros de veículos 100% elétricos aumentaram 70% na Europa de janeiro a outubro de 2020 em comparação com o mesmo período do ano passado. Se as vendas de veículos elétricos e híbridos dispararam em 2020, eles devem ter ainda mais sucesso nos próximos anos.

O barômetro de mobilidade elétrica Renault eWays também confirma a crescente consciência entre os europeus sobre os desafios das mudanças climáticas. Oito em cada dez europeus estão pedindo mais veículos híbridos e elétricos nos próximos dez anos.

A maioria dos europeus é a favor dessa transição para grupos motopropulsores eletrificados, convencidos dos benefícios ambientais dos veículos elétricos e híbridos, diz o estudo. Na verdade, quase um em cada dois europeus considera isso uma prioridade. Longe de ser vista como uma moda passageira, a transição para veículos elétricos e híbridos é esperada, com 54% dos entrevistados mesmo sentindo que essa transição é muito lenta.

Os europeus estão convencidos de que os veículos elétricos e híbridos ajudarão a limitar a poluição. Com base nessa convicção, 38% dizem que estão prontos para mudar rapidamente para veículos elétricos, enquanto a tendência é ainda mais forte para veículos híbridos, com 47% dizendo que é possível que seu próximo carro seja híbrido. Paradoxalmente, mesmo que a preferência seja por veículos elétricos, falta experiência de condução: 76% dos europeus afirma nunca ter conduzido um automóvel elétrico ou híbrido.


Continua depois da publicidade


Por fim, a crise de Covid-19 alterou os hábitos de mobilidade dos cidadãos europeus, passando 43% deles a declarar o risco de epidemia e contágio como principal critério de escolha do modo de transporte, nomeadamente em Espanha, Itália e Reino Unido.

E os franceses?

Uma lição importante do estudo nos diz que a Covid-19 muda os hábitos de mobilidade: menos transporte público, mais consideração dos critérios de saúde ao escolher um modo de transporte, sendo os franceses os mais propensos a usar o carro para o deslocamento diário (73% contra 53 % para o G5).

Mudança climática, uma preocupação francesa? Aparece como a segunda maior preocupação dos franceses (41%), atrás apenas da epidemia de coronavírus (52%). Os franceses estão entre os 5 países europeus inquiridos que dão maior importância a esta questão climática - 41% contra 33% em média, empatados com os alemães. No entanto, os cidadãos franceses estão no final da corrida para agir, com apenas 48% deles dizendo que fizeram algumas mudanças em seu modo de vida para lutar contra o aquecimento global.

Oitenta e um por cento dos franceses que já dirigiram um veículo elétrico ou híbrido acham que dirigir um veículo elétrico é mais agradável do que dirigir um veículo térmico. 

As projeções de curto e médio prazo mostram forte apetite por veículos elétricos. Mais de um terço dos europeus (30% para os franceses) pensam que seu próximo veículo poderia ser um veículo elétrico. Essas intenções são maiores no longo prazo (55% dos europeus nos próximos 10 anos). A principal motivação para a compra de um veículo elétrico ou híbrido está relacionada à redução de custos para 45% dos franceses. Quarenta por cento dos cidadãos identificam a vida da bateria como o principal obstáculo à compra de um veículo elétrico ou híbrido, enquanto o segundo e o terceiro são o custo e a questão da reciclagem da bateria.




Comentários