Metalúrgica investe R$ 360 milhões em expansão de unidade fabril em MG

Alta do dólar favoreceu a produtora de silício metálico, Liasa, que exporta cerca de 85% de sua capacidade produtiva.

Na última semana, a empresa Ligas de Alumínio S.A, Liasa, lançou o projeto de expansão da sua unidade fabril em Pirapora, região Norte de Minas Gerais. Com investimento de R$ 360 milhões, até 2024, a empresa estima gerar cerca de 650 empregos diretos com o empreendimento.Há ainda a expectativa de que sejam gerados cerca de 1,6 mil empregos indiretos.

Constituída há mais de 50 anos, a Liasa, atualmente, opera quatro fornos elétricos de redução, com capacidade total instalada de 133,5 MVA e capacidade de produção de 72.000 toneladas/ano de silício metálico.

“Já tem cerca de um ano que iniciamos as obras. Fizemos a parte de fundação, onde haverá a construção de três filtros de despoeiramento para a empresa ficar totalmente em dia com o meio ambiente. Também vamos reformar os fornos, que já estão com 15 anos a 20 anos. A expectativa de aumento de capacidade com reformas e melhoria que estamos implantando é de 15% na produção”, disse ao Diário do Comércio, Fernando Patrus, diretor da Liasa.

O diretor conta ao jornal mineiro que a reforma também prevê o uso de tecnologias para a modernização do parque fabril.


Continua depois da publicidade


“É um processo muito importante porque vamos fazer uma modernização da fábrica usando as melhores tecnologias disponíveis no mercado e também com vários desenvolvimentos internos. A Liasa é uma empresa muito inovadora no setor de metalurgia, com mais de 20 patentes registradas e estamos aplicando os conhecimentos obtidos em mais de 50 anos de fundação nesta reforma”, disse Patrus ao Diário do Comércio.

De acordo com a publicação, a Liasa também  pretende investir cerca de R$ 650 milhões na aquisição de energia gerada em usinas solares para abastecer o complexo no Norte de Minas. 

Romeu Zema, governador do estado, destacou a importância dos investimentos da empresa no processo de reativação econômica do estado. “Sabemos que a pandemia teve, além do lado negativo das perdas de vidas, a questão da retração econômica, que custou muitos empregos. E a nossa grande prioridade neste momento é reativarmos a economia”, afirmou o governador.




Comentários