Usiminas é a única da América Latina com selo verde para aço

Certificação foi concedida pelo Bureau Veritas Certification, da França

Fonte: RP1 Comunicação - 27/09/07

Usiminas acaba de se tornar a primeira siderúrgica da América Latina e a segunda empresa do Brasil a obter a certificação de conformidade de toda a sua linha de produtos (chapas grossas, laminados a quente, laminados a frio e revestidos) com a diretiva européia RoHS, relativa à restrição do uso de substâncias nocivas. A certificação foi concedida pelo Bureau Veritas Certification (BVC), da França.

A diretiva RoHS visa proteger o solo, a água e o ar contra a poluição, por meio da restrição do uso de determinadas substâncias - chumbo, mercúrio, cádmio e cromo hexavalente, entre outras - usadas no processo siderúrgico. De acordo com o superintendente de Metalurgia e Garantia da Qualidade da Usiminas, Eduardo Côrtes Sarmento, a certificação outorgada pelo BVC representa mais um importante passo da Usiminas para a fabricação de produtos ecologicamente corretos, uma crescente demanda dos clientes e da própria sociedade.

Para se adequar à legislação européia, a Usiminas adotou várias ações nos seus processos de gestão: notificação aos fornecedores sobre a necessidade de controlar os níveis das substâncias nocivas nas matérias-primas e insumos fornecidos à Usiminas; análise de substâncias nocivas nas matérias-primas, insumos e produtos nas diversas etapas dos processos de produção do aço; notificação aos clientes da Usiminas dos níveis das substâncias nos produtos; elaboração de procedimento para monitorar as substâncias nocivas nos produtos da siderúrgica, e auditoria externa para certificação da adequação dos produtos à legislação européia.

Os regulamentos de proteção ambiental, que têm influenciado cada vez mais o potencial de acesso ao mercado internacional, surgiram na Europa, e gradativamente vêm sendo adotados também em outros continentes. As normas estipulam valores-limite ou níveis máximos de resíduos para determinadas substâncias no conteúdo de produtos, o potencial de reciclagem e a degradabilidade, entre outros fatores.
Tópicos:
  



Comentários