Schmersal implementa projeto piloto de produção em casa de chaves e sensores

Iniciativa é uma das dezenas que fazem parte de plano com ações preventivas de combate a disseminação do covid-19

Multinacional que desenvolve e fabrica soluções para elevadores, automação e segurança para máquinas industriais, a Schmersal adotou projeto piloto de produção na casa de colaboradores de pequenas chaves e sensores. A iniciativa é uma das ações preventivas de combate a disseminação do covid-19 adotadas na fábrica, localizada na cidade de Boituva, a 133 km da capital paulista.

Com 160 colaboradores diretamente vinculados na produção da fábrica, o projeto piloto contempla 5% do efetivo trabalhando em casa. “Avaliamos quais postos da área produtiva permitem produção com menor número de equipamentos envolvidos e sem impacto na qualidade de nossos produtos. Escolhemos algumas pessoas para iniciarmos o projeto piloto, o que está permitindo o aprendizado sobre a dinâmica deste processo para posterior ampliação”, comenta Bruno Ricardo Diniz, gerente industrial da Schmersal.

Nesse projeto piloto, estão contemplados os montadores da área de eletrônica da Schmersal, atividade usualmente realizada em um ambiente fechado e com maior proximidade entre os colaboradores. “Por serem produtos da área de eletrônica, apenas tivemos que escolher itens que não precisam de cuidados com a eletrostática - requisito básico para montadores de eletrônica. Dessa forma, estamos montando em casa pequenas chaves e sensores que não têm componentes sensíveis a eletrostática”, explica Cristiano Martins, coordenador de produção eletrônica da Schmersal.


Continua depois da publicidade


A logística do projeto piloto consiste no modelo Milk Run, ou seja, um sistema de entregas em que, ao mesmo tempo que se deixa a mercadoria, se leva a outra. O próprio supervisor da área faz a gestão da rota e o time de Plano de Controle de Produção (PCP) faz a programação semanal.  A equipe da logística separa os componentes que serão distribuídos nas casas dos colaboradores e, nesta mesma rota, coleta os itens finalizados na produção anterior. “Mesmo sendo uma atividade semanal, o Milk Run pode ser acionado para coletas diárias, dependendo, neste caso, da demanda de nossos clientes. A premissa aqui é reduzir as interações ao menor número possível”, acrescenta Diniz.

Ele explica que os colaboradores do projeto piloto foram orientados a buscar um ponto isolado da casa, para que possam se concentrar e fazer o trabalho com o mesmo nível de qualidade que executam na Schmersal. “Oferecemos todas as ferramentas necessárias para a execução do trabalho, lembrando que isto foi feito com colaboradores que não necessitam de apoio ou suporte técnico por terem pleno domínio da atividade em execução”, destaca o coordenador de produção eletrônica da Schmersal.

A capacidade de montagem dos itens em casa é basicamente a mesma da indústria, uma vez que as atividades são dimensionadas para ocuparem o tempo equivalente aos turnos de trabalho. A Schmersal manteve todos os funcionários da fábrica empregados e, até o momento, não teve diminuição nos pedidos de clientes. “Mas temos consciência que teremos impacto, uma vez que haverá uma redução geral de demanda”, finaliza o gerente industrial da Schmersal.




Comentários