Confiança da indústria eletroeletrônica atinge queda recorde em março

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) do Setor Eletroeletrônico atingiu 56,8 pontos no mês em março, resultado 5,5 pontos abaixo do apontado em fevereiro (62,3 pontos). Essa foi a maior queda observada na série histórica mensal do ICEI do setor, iniciada em janeiro de 2010. Ao comparar com o mês de março de 2019, o ICEI do setor caiu 4,9 pontos (61,7).

Destaca-se que o recuo da área eletrônica foi mais expressivo, atingindo 7,8 pontos (passando de 60,9 para 53,1 pontos). Na indústria elétrica, a retração foi de 3,4 pontos (recuando de 63,6 para 60,2 pontos).

O presidente executivo da Abinee, Humberto Barbato, observa que o impacto no setor eletroeletrônico está relacionado com os problemas de abastecimento de componentes provenientes da China e do mercado asiático, que motivaram paralisações na produção das empresas nos meses de fevereiro e março.

Outros fatores, como a volatilidade dos mercados, o aumento do dólar e as incertezas quanto à aprovação de reformas, como a Tributária, também motivaram a queda na confiança do empresário. “Infelizmente, espera-se uma retração ainda maior do ICEI nos próximos meses, em razão da pandemia de coronavírus, que traz consequências para todo o mundo”, afirma Barbato.


Continua depois da publicidade


O ICEI varia de 0 a 100 pontos, sendo que valores acima de 50 pontos indicam confiança do empresário industrial e abaixo de 50 pontos mostram falta de confiança. Mesmo com a forte queda apontada no mês de março de 2020, o Índice do setor continua afastado da linha dos 50 pontos, o que mostra confiança do empresário.

Tópicos:



Comentários